Pantafolle


Parecendo que não, viver num país onde os serviços são o pânico, desde as imensas burocracias até à comida das cantinas, pode ter o seu lado positivo: quando chegamos a um outro país já estamos habituados ao que é mau, e o que é normal parece-nos óptimo!!!
Por isso é que os turistas provenientes dos países ditos de terceiro mundo, e daqueles que não se dizendo também o são (como é o caso do nosso belo Portugal), são sempre os que registam uma maior taxa de sorrisos por índice de satisfação! (Se este indicador não constar no INE é falha deles).
Por cá pagam-se os mesmos dois euros que na cantina dos pobres da FCSH, mas enquanto que nesta segunda se pode apenas escolher entre hamburguers de tofu e alheiras com ovos, na cantina da faculdade de Siena, que aliás tem duas cantinas, existem pizzas, pastas, grelhados, variados e sabores do mundo!!!
Hoje até havia uma pizza com um ovo estrelado la metido! (E felizmente aqui ninguém sabe o que são alheiras!)
Por outro lado os uficios italianos não primam pela organização, mas lá está, quem já enfretou as inscrições manuais da FCSH, ou qualquer depatamento do serviço público português, não estranha o andar de saltitar de ufficio em ufficio e no fim voltar ao mesmo onde começou. Também está já previamente preparado para funcionários menos competentes que dizem cosias do género "Ela veio para o curso que começa dia 1 mas hoje já é dia 5" e antes que tenhamos tempo sequer de insultar mentalmente a pessoa, a colega do lado já a está a chamar de pazza e a dizer que "sim, mas se ela só chegou agora de Portugal só pode começar a ir ao curso agora". A funcionária menos competente solta um grande "aaaaaaaah va bene". E é assim, com estas constatações paradigmáticas, que se sobe na hierarquia da imagem e do respeito destes uficios.
A má qualidade da televisão portuguesa é algo que não é metade do susto que aquilo que se afigura a televisão italiana! No canal de Siena dão horas e horas de emissão de crianças a serem baptizadas nas repectivas contradas (Siena está dividida em zonas a que se chamam contradas e que são levadas mais a peito que as equipas de Futebol. No Verão, a contrada que ganha o palio - uma corrida de cavalos de 90 segundos - faz uma festa como quando a Itália ganha o mundial). Depois há que destacar esse imperdível ModaLand que dá aos Domingos, apresentado por um ex concorrente do Grande Fratello, gay da ponta do chapéu aos sapatos pretos reluzentes. O ModaLand é algo que vai muito além do que as palavras podem transmitir e por isso tudo o que eu possa escrever sobre o prgrama não chegará para que possam sentir o verdadeiro terror!
Mas o ponto que quero deixar assente é que de facto, há por aqui muitos portugueses e andam todos sempre contentes e eu acredito que um dos motivos seja esse background que nos dá a vida portuguesa com certeza.
Por falar em portugueses, hoje descobri que a Nelly Furtado quando era criança e passava os Verões nos Açores, usava óculos fundo de garrafão e dizia que ia ser cantora. Eu sei que a Nelly Furtado é luso-canadiana, mas quem me contou isto foi uma rapariga dos Açores que costumava brincar com ela e rir-se quando ela dizia que ia ser cantora. Por isso é que eu nunca me rio dos sonhos dos outros ( a não ser que aquela minha amiga, cujo nome permanecerá incógnito para ressalva da sua personalidade, que teve 2 a educação visual quisesse seguir design ou arquitectura). Aí ia ter de me rir!
Adiante, as minahs room mates também são portuguesas e também estão sempre bem dispostas. Já o namorado de uma delas que é inglês, anda sempre mais sóbrio e faz questão de realçar que é inglês mas que nasceu na Suiça! Segundo ele agora é possível ser-se preso em Inglaterra ou pagar uma multa elevada por praguejar. Ele conta estas coisas de uma forma depreciativa mas eu acho a implementação deste modelo anglo-saxónico uma óptma ideia para salvar a situação financeira do país! Imaginem a fortuna que não se fazia com as pessoas do Puorto Carago! Não sei porqué que nunca pensaram nisto. Cada país tem de aproveitar ao máximo os seus recursos em prol da eficiência, e vendo por este prismo o Mercado do Bulhão está claramente a ser sub-rentabilizado!
Da política às questões realmente práticas: uma coisa que comecei a achar estranho foi a aparente escassez de pantufas que não se conseguiam encontrar em lado nenhum....
Nós perguntávamos por elas e as pessoas faziam caras estranhas. Bom, então se calhar as pessoas em Italia não usam pantufas, eles também não bebem café (só bebem café com leite, ou com chocolate, ou com natas ou etc, mas café só café é que não!).
Porém no caso das pantufas estava enganada. Eles usam pantufas, são as "pantafolle". O problema foi que nós estávamos a perguntar pelas pantalófe, que seria algo como chegar ao Jumbo e dizer "Bom dia, tem panfutas?"

Comentários

Rita disse…
Tendo em conta que a minha FCSH n tem cantina (embora haja pra lá uma coisa que chamam "a cantina dos profs" em que tens de deixar a roupinha e o portatil pra comeres comida apenas RAZOÁVEL), parece-me que vou achar esse sítio um verdadeiro paraíso! =)
Ísis disse…
LOOOOOOOOOOOL panfutas, adorei :D
Enolough disse…
As palavras e as coisas...
Anónimo disse…
Nunca pensei que Deus usasse pantufas :)
Alê disse…
Deus não sei... eu no Inverno uso!

Mensagens populares deste blogue

O síndrome de Bridget Jones

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens