Pizza em Pisa


Todos os dias vemos as mesmas pessoas, nos mesmos sitios (e nalguns casos menos polidos com as mesmas roupas). Estamos de tal forma inseridos nestas nossas realidades sistémicas que todas as outras nos passam ao lado.
O avião aterrou em Pisa 45 minutos antes do previsto, aterrou não é bem o termo porque devem ter ficado sulcos na pista.
Tirando então essa aterragem. o único precalso da viagem foram os 150€ de excesso de bagagem. Podemos pagar até mais 6 malas mas nunca pdoemos levar mais de 15kg no total. Paguei duas malas pensando o contrário, pois pareceu-me 1 pouco ridícula a ideia de levar 6 mlas de viagem com 2kg de cada. Estava enganada!!!
A viagem em si foi rápida e agardável, sempre na conversa com duas mafiosas, pelo menos de sangue, que é o que se diz das pessoas da Sicília.
A melhor madrinha do mundo (que é a minha) foi buscár-me ao aeroporto e logo nessa noite levou-me à Praça Garibaldi e arredores, uma espécie de Bairro Alto em ponto pequeno ou Sé em ponto maior (para quem é de Faro) lá da zona.
Pisa faz lembrar os Boulevards de Paris, com o Arno em vez do Sena e passeios mais chiques porque têm nome próprio: "Lungarnos" (ao longo do Arno).
A Torre está mesmo torta mas é seguro fazer pic-nics no jardim em volta. E com o dia de Primavera que fez hoje, nada podia ter sabido melhor do que estar ali com aqueleas pizzas e aquele solzinho.
Em menos de 24 horas conheci portugueses, espanhóis, coreanos, franceses, brasieliros e italianos. Mas acho que de Pisa exactamente nem cheguei a conhecer ninguém.
E assim se percebe, que onde quer que estejamos, há sempre muito mais para além daquilo e daqueles que vemos.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O síndrome de Bridget Jones

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens