La "xena"


Os vizinhos. Os vizinhos podem ser considerados um grupo social. Os vizinhos podem ser pessoas que nunca tínhamos visto na vida até as encontrarmos um dia nas escadas. Os vizinhos também podem ser um casal de idosos que espanca as paredes se depois das 11 da noite nos rimos um bocadinho mais alto. E por fim, os vizinhos podem ser como familiares, em primeiro segundo ou terceiro grau.

Desde o dia em que se mudou cá para casa, que o meu compagno andava a falar em fazermos uma “xena” (ele fala itanhol e em itanhol a pronúncia deixa de ser txena para adoptar o som x no princípio) com os vizinhos de cima. Os vizinhos de cima são a Vanessa e a Ana, referências já veteranas neste blogg, o Matt, também já famoso (aqui no blogg e por toda a comunidade erásmica feminina) e a Alana. Eis uma novidade! A Alana tem estado em Londres e por isso só a conheci agora. É daquelas pessoas de quem se gosta logo à primeira! Mora em Inglaterra mas os pais são espanhóis, por isso fala espanhol e inglês.
Ora bem, sempre que a Ana vinha ter comigo cá a casa, lá vinha o compagno perguntar-lhe pela “xena”. E sempre que encontrava a Vanessa nas escadas, também não a deixava passar sem perguntar pela princesa guerreira. É verdade que nas primeiras vezes que a conversa surgiu, a receptividade à ideia não foi das melhores. Mas com o passar do tempo as reticências foram-se dissipando, e todas nos fomos apercebendo de como poderia ser divertido fazer uma “xena” com o compagno.
Porque o meu compagno é daquelas pessoas a quem sempre acontece tudo… O meu compagno é daquelas pessoas a quem mandam parar no aeroporto de Pisa quando ele acabou de aterrar vindo de Amesterdão. Revistam-no durante meia hora, revolvem-lhe a mala, obrigam-no a despir-se e no fim, depois de o terem posto a saltar nu (para ver se não cai nada dos orifícios mais recônditos) e mesmo assim não terem encontrado droga, dizem que era procedimento. O meu compagno é daquelas pessoas que está em casa a jogar poker na cozinha e bate à porta um padre para vir benzer a casa e distribuir panfletos sobre o cristianismo. O meu compagno é daquelas pessoas que joga poker na Internet com o nome da irmã, para despistar os adversários, os quais pensando que estão a jogar contra uma mulher se entusiasmam nas apostas. O meu compagno é daquelas pessoas que pergunta como é que se abre a porta quando a porta já está aberta. O meu compagno é daquelas pessoas que todas as noites me vê e fala comigo e no dia seguinte sempre me pergunta onde é que eu estava, porque não me viu. O meu compagno é daquelas pessoas que rouba rolos de papel higiénico e bebidas no supermercado, porque não quer dar dinheiro ao Berlusconi. O meu compagno é daquelas pessoas que uma vez fez um braço de ferro com uma rapariga e perdeu, sendo motivo de escárnio entre os amigos há já 3 anos e recusando por isso todos os desafios que lhe proponho.
O meu compagno é aquela pessoa que hoje convidei para “xenar” com os vizinhos de cima e que me fez rir até me virem as lágrimas aos olhos. O jantar foi simplesmente hilariante! O jogo de Parchis (nome não confirmado) que se seguiu, já com a presença do Matt, outra comédia! Porque o compagno joga Parchis com a mesma intensidade com que às 6 da manhã se põe a ver o Alonso a correr. E por mais perdido que esteja o jogo, ele nunca perde a esperança, diz que voa! No final, quando finalmente perde o jogo, aceita a derrota e aconselha a Vanessa e a Ana a terem mais fé!
Este homem é o protótipo da stand up comedy mas sem guião nem piadas pensadas. Porém há que deixar bem claro que não se tratou de nos rirmos dele, fazendo pouco da sua pessoa, mas pelo contrário, de nos rirmos com ele, constante e espasmodicamente!
Também não posso deixar de mencionar que a Ana fez bolo de bolacha, e que eu que até nem gosto de café, vou lá voltar amanhã para comer mais um bocadinho!

Assim é bom ter vizinhos!!!

Legenda: em cima, Vanessa, Ana, Alana, compagno e eu; no canto inferior esquerdo, bolo de bolacha da Ana e eu a come-lo; ligeiramente sobresposta ao canto inferior esquerdo, uma imagem do tabuleiro de Parchis (será?); canto inferior direito Matt e compagno a jogar Parchis (ou algo com um nome parecido)...

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O síndrome de Bridget Jones

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens