Napoli - o farwest italiano!

Ha' uma cidade italiana onde a terra sobe e desce. Onde esta' a entrada para o inferno, nesse lago sem fundo que muda de cor. Onde Deus é argentino e perdeu-se pelos seus proprios caminhos. Onde se avistam montanhas,umas de impune rocha vulcanica outras, de sacos do lixo com odor irreverente. Onde as aguas sao limpidas e cristalinas, mas ao porto chega todo o tipo de mercadoria negra. Onde a pizza é boa por tradiçao, mas quem a faz e equanto a faz, coça a barriga com a mao...


Ao centro, um dos lemas da cidade hasteado numa caixa de Pizza e um prato de pizzetas de algas, especialidade chinesa (napoliatna bolas! napolitana!); ao canto a bandeira de Portugal hasteada no centro da cidade sem motivo aparente, mas com muito orgulho!

Essa cidade chama-se Napoli e é na essencia do seu paradoxo que se desvincula tao particular.
A fama do perigo, dos mafiosos e de todo o tipo de ladroes atravessou fronteiras, mas ninguem imagina a quantidade de policia que existe em Napoles! Sao ao metro!
Aqui a gente nao é especialmente simpatica. Nem fingem que estao sempre bem dispostos. Sao pessoas rudes por natureza, o que diverge de antipatia. Sera' mais um modo de ser puro, da terra onde um estrangeiro nao pode vir sozinho. Por isso é que eu ca' estou com alguém que, muito mais que italiano, é "NAPOLETANO"!
E la' vai ele guiando-me pelas estradas sem lei, onde o vermelho é verde translucido e o sentido proibido é passarela, mas atravessar nas passadeiras nao se usa, esta' fora de moda. E novamente emerge o paradoxo ,quando apenas depois de dizer que no transito e Napoles nao exisem regras, reclama que a moto que vem em sentido contrario nao pode fazer aquilo, e que o carro que se enfiou da direita nao tinha prioridade e que o que parou a frente dele é pazzo! Oh meu amigo, se na ha' regras para um, nao ha' regras para nenhum!
Outro momento divinalmente paradoxal foi a minha apresentaçao à Via Napli ( a rua principal da cidade, que acompanha o mar lado a lado). Ora entao dizia o meu amigo "Eu cresci na Via Napoli, de dia jogava basket nos campos, à noite saia pelos bares, é muito especial para mim e acho que é o lugar mai bonito de Napoles". De repente avistamos umas escavaçoes e ele começa com umas convulsoes e uns gemidos "Ma come? Ma che cazzo hanno fatto?!Ma noooooo!!!". Destruiram todos os campos de basket, e o meu amigo, do fundo da sua tristeza e revolta, retoma o discurso "Esta é a Via Napoli e para mim é feissima, um lugar horrivel!"
Estou apiaxonada por uma coisa que nao sei o que tem dentro e cujo nome confundo com straciatella. Mas inevitavelmente, acabei por aprender o nome (sfogliatella, o doce tipico de Napoles)e aprendi também que nao se podem tirar fotografias dentro da pastelaria onde a sfogliatella nasceu porque esta' um quadro pendurado com a falecida mae do actual proprietario (que foi o meu "simpatico" professor nesta liçao "SIGNORINAAAA! NO SI FANNO LE FOTO QUI!!!" (a signorina nem piou).
Tentando andar pelas ruas acotoveladas de gente, dou-me conta que estou numa verdadeira metropole, e que esta por sua vez é verdadeiramente desorganizada e confusa! E que se assim nao fosse, perderia o seu "que" de especial.
"Se estas facas nao estivessem sujas, e as escadas que subimos imundas, a melhor pizza de Napoles nao seria verdadeiramente napolitana!", dizia-me hoje o meu amigo, quando me levou a comer à mehor Piza de Napoles, onde até o Bill Clinton ja comeu! Quem ve de fora, ve um botéco de esquina e interroga-se sobre o porque da extensa fila para entrar, e nem percebe bem para onde é que as pessoas estao à espera de entrar porque a fachada externa é a cozinha... Os empregados mandam as coisas para cima da mesa e falam um italiano proprio, mas tudo isto é o espirito!



Como também é o espirito ir para Pompeia num dia chovoso procurar os 13 mortos do quarteirao 2, que afinal secalhar eram 14, mas no's so' encontràmos 1! Porque o suposto auxiliar da zona disse que teria o maior prazer em indicar-nos onde estavam os mortos petrificados se lhe pagassemos uma cerveja e uma sandes, caso contrario, as visitas guiadas custavam 100 euros. Nao encontramos os mortos, mas também nao pagamos mais por isso.



O anfiteatro la encontramos, com muita dificuldade. Porque o meu amigo ja tinha vindo a Pompeia 4 vezes e entao sabia muito bem onde era o anfitetaro. Tao bem que, renegando o caminho que eu propus, me levou por uma "passegiata" fora das paredes desta cidade que um dia a lava escondeu, com direito a safari por um lamaçal rodeado de roseiras sem rosas mas com espinhos afiados! Foram precisos 20 minutos e muitos malabarismos pedonais para chegar ao anfiteatro que afinal tinha estado tao perto, precisamente depois da curva que eu tinha indicado!


Vitoria Emanuelle! Chegamos ao anfiteatro!



E olha so' a minha cara de felicidade por estar no anfiteatro com as botas empapadas por ter andado a saltitar de poça de lama em poça de lama!

De volta a Napoles, as ruas estavam mais congestionadas que Veneza no Carnaval! E depois de meia hora para estacionar (de realçar que no regresso fomos presenteados por uma multa por nao pagar o estacionamento, pois julgamos nao ser encessario ja que alem de sabado era feriado)levamos aproximadamente uma hora para chegar à tal que é a melhor Piza de Napoles. As pessoas transbordam pelas ruas estreitas, onde reinam os presépios (o presépio é uma tardiçao napolitana e ai de quem disser o contrario!)e as figuras para o presépio, entre as quais se destacam a Hilary Clinton e sobretudo o Maradona, que dispoe inclusive de um altar em plena Spacanapoli (ou algo assim). Mas nao é um altar qualquer, é um altar com um cabelo do Maradona!



E depois em Napoles ha' o vulcao e ha' a neve (nao ha mas lançam espuma pelas ruas e é como se houvesse - o vulcao é mais serio) e ha' as bufalas que fazem a muzzarella e em razao das quais o meu amigo decretou que em Portugal nao podia haver muzzarela decente porque as bufalas portuguesas nao sao famosas!



E no final das contas e das passegiatas... "Napoli non è una cità, è un stato d'animo!"

Mesmo assim, deixo alguns conselhos de sobrevivencia aos futuros viajantes:
- Nunca dizer que nao a um napolitano porque provavelmente ele é mafioso e se nao for, seguramente tem algum amigo que é.
- Fazer dieta antes de vir
- Ja' mais em tempo algum cogitar a hipotese de conduzir um veiculo motorizado, qualquer que seja a cilindrada, pelas ruas de Napoles.
- Em caso de posse de amigos da terra, passar o mais distante possivel de todas as lojas com o letreiro "Napolimania"
- Absolutamente nunca, fazer qualquer tipo de comentario depreciativo sobre Diego Armando Maradona

Comentários

Dado disse…
Divertidíssimo esse post! Você antenou direitinho com o tal stato d'animo. Sono bellissimi i foto!
Anónimo disse…
Post típico de profunda ignorância sobre a NEa POlis!

Só fez comentários com o que a cidade tem de pior e nada apresentou dos verdadeiros valores da cidade de Nápoles .
Náploes não é só um time de futebol!
Não falou sequer da canções, dos instrumentistas, da Commedia dell'arte, do Teatro San Carlo.
Imagina se tocaria em Giovane Batista Basile- o verdadeiro criador de todas as fábulas copiadas indecentemente pelos irmãos Grimmm, por Walt Disney e outros.
Como tambem jamais saberia dizer que Nápoles tem as melhores gravatas do mundo, supreriores até à famosa Hermès. ( Santa Marinella)
Assim como é o berço de muitos pintores fantásticos, com El Gercco!
Napoles tem milhares de pontos maravilhosos!!!
Nada disso.
Preferiu falar de coisas absolutamente prosaicas e que enodoam a cidade nova.
Na verdade, da Napoles verdadeira, nem uma vírgula.
Pena.
Viajar assim, melhor ir mesmo pra Miami, local adequado à gente q gosta de ver e ser vista!
Mas como diria meu paraninfo, a ignorância é estado passageiro. Se a pessoa quiser, ela sai dessa condição!

Mensagens populares deste blogue

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens

Um fim de ano especial, com festa no Palácio Real!