O cocó de pombo

Pensava que me tinha caído um cocó de pombo na cabeça. Apressei-me a entrar no elevador para atacar o espelho.

Afinal, não havia qualquer tipo de dejectos residuais no meu cabelo. Tudo leva a crer que não passou de uma gota de água destilada pelo túnel do metro.

Porém, embrenhada na minuciosa procura por fezes de pombo, deparei-me com algo muito mais alarmante a emergir do meu couro cabeludo!

Não era 1 cabelo fora do sítio, nem a etiqueta da boina para fora, porque se eu estivesse de boina, nada disto teria acontecido.

Era um sinal de algo intransponível e inevitável, sem margem para voltar atrás. Nem todo o stock de lenços de papel, perfumados, cor-de-rosa ou com padrão, nem toda a parafernália de shampoos, dois em um, anti-caspa, para cabelos oleosos ou de chocolate, conseguiriam remover o que eu vi na minha cabeça, do lado de fora, com aproximadamente 5cm.

Antes fosse um cocó de pombo de aproximadamente 5 cm! Antes fosse uma melindrosa diarreia de pombo! Antes fosse todo um parapeito de uma janela dos Jerónimos despejado sobre mim!....

Em vez de um cabelo branco!!!

Comentários

espirito_Ninja disse…
ja tens uma boina c a etiqueta de fora e um cabelo branco...ja podes ser escritora
**
carla disse…
krias ser directora da revista aos 21 e n keres cabelos brancos... ca eu penso noutro curso ké pa isso n me acontecer... tens k contornar essas coisas amiga.. é o fim!!!
Lolly disse…
LOL adorei esse teu desejo de diarreia de pombo na cabeça! Acho que vou aprender a falar pombalês (língua dos pombos, óbvio!) e combinar com eles um ataque letal à tua cabeça ahahah!

Mensagens populares deste blogue

O síndrome de Bridget Jones

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens