Poesia é...

A poesia é vintage

Com versos de alta-costura,

Irreverência de Maio 68

E padrão de twenties na loucura.



É um guarda-sol afoito

Sem medo de voar.

É a mini-saia da Mary Quant

E a mala da Mary Poppins,

Sempre prontas a usar!



É o sonho do M.L.Rei

Ao ritmo das estrelas.

São palavras sem lei,

Nem autorização para dize-las.



Magia em forma de canetas

Que escrevem retro, rock, rumba!

Poesia é rap de borboletas,

Pensamentos do Timon, ideias do Pumba.



Desprovida de prognósticos e previsões

Religião agnóstica de vários corações.



É uma espécie de Punk vegetariano,

Uma sinfonia da Torre de Babel ao piano.



É contra as armas e a bomba nuclear

Contra o smoking, o relógio e os preços da gasolina,

Mas a favor do protector solar.



É velha, madura e menina

E não tem vergonha de cantar.



Fala todas as línguas, pinta com todas as cores.

Não cobra entrada.

Oferece lágrimas, sorrisos, suspiros, flores,

E raios de luz à madrugada.



Assusta quando espirra.

Sabe a sobremesa que não sobrou.

Faz reciclagem dos sentimentos,

E dos lugares que já visitou.



Na sua corrente intemporal

A poesia é o incessante abismo

Que une tudo, todos e vice-versa,

Com a devida falta de pragmatismo.

Em equação irracional

é a margem de erro elevada ao cubo,

a terra + o mar + o céu, vezes o adubo.



A poesia é o escadote para tocar na lua

Sem tirar os pés do chão.

Não sabe o que diz, sabe o que sente,

Ou então não...

e assim tão sem saber perdura.



Eterna e infinita enquanto dura,

A poesia é para sempre.

Comentários

Margarida disse…
Oh... que post tão giro. Até fico sem palavras, as tuas roubaram as minhas...

(foi inspirado naquele vídeo que a Inês pôs no blog dela, certo? É que também definia muito bem a poesia esse...)
Anónimo disse…
Adorei! Fez-me sorrir num momento em que precisava muito! Obrigada**
Francisco Maia disse…
uou isso é teu? é mesmo muito muito bom! faz lembrar-me bob dylan
Anónimo disse…
na verdd foi msm inspirado nas 4 paredes sem janelas do meu departamento de comunicação, qd n tinha nada p fazer...
ena! um comment tão elogioso do crítico de cinema mais feroz q eu conheço até me faz sentir uma escritora a sério! :)
Anónimo disse…
acho q tás mto lá em cima, a comprar com o DuoLindas. mas confessa que elas te inspiraram. elas até diziam "Até no trabalho há po-e-siiiiaaaa"
Marta disse…
Muito bom parabens. Faz de facto lembrar Bob Dylan.
Anónimo disse…
e eu q nem sou fan do bob...
m vá confesso... o Duo Lindas deu de facto o mote para esta criação!
c tanta receptividade a um poema feito clandestinamente, até dá orgulho dizer "é p isto q me pagam!" ;P
carla disse…
Ontem lembrei-me de ti,n foi uma lembrança de saudade "mi dispiace" foi uma lembrança de "preciso de ti". Queria arranjar kkk pa escrever ao avô mas... "filha tu n nasceste pa escrever, a tua arte é outra". Por isso acho que se pedir com jeitinho tu te inspiras, nao? gosto de ler português :)
Lolly disse…
eu li em primeirissima mao, entre um e-mail e um acenar de cabeça para trás a fingir que trabalhava lol! anarquistas pah lol**
Lolly disse…
lamento, m após segunda leitura do poema vejo-me forçada a fazer uma importante correcção, protegendo a coerência desse clássico da Disney, O Rei Leão: o Pumba não tinha propriamente muitas ideias. A sua função principal era soltar gases pela savana.... De qualquer forma foi uma intervenção romântica: HAKUNA MATATA BABE ;)*** :P
Fátima disse…
não sabia que escrevias assim!adorava conseguir escrever poemas =)

Mensagens populares deste blogue

O síndrome de Bridget Jones

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens