Modo Poupança de Energia



- É a primeira vez que vens ao Brasil?
- Não. É a sétima. A sexta consecutiva… Eu na verdade sou brasileira…



A primeira vez não me lembro bem, tinha 3 anos e era Carnaval em Salvador. Pelo que contam as fotos, fiz a festa até cair de sono no colo do papai! Só voltaria ao Brasil em 2003, desta feita para Fortaleza. Seguiu-se Natal (2004), Maceió (2005), Recife e Porto de Galinhas (2006). O ano passado estive a viver em São Paulo enquanto fazia o estágio e ainda tive tempo para conhecer Belo Horizonte e as Cataratas do Iguaçú. Hoje, cheguei a Lisboa vinda de Porto Seguro - Bahia.



De todos, é o lugar que menos me deixa saudades. O ser revistada na alfândega por ter passaporte brasileiro, a melga impertinente na primeira noite, a chuva incessante no primeiro dia, as duas dezenas de picadas de mosquito que coleccionei em apenas uma semana e a alergia que, desde ontem, me assolou o lábio inferior, contribuindo para que parecesse o Hitch, são alguma das razões.. mas há mais!

O pior de Porto Seguro são os nativos! A “baianada” como diria a minha prima de São Paulo. São mal educados, sempre dispostos a enganar os turistas e chatos, essa é a palavra! Em apenas 5 minutos na praia passa o queijo grelhado, as pulseiras, os biquínis, o senhor que toca guitarra e faz versos inspirados em nós, as trancinhas, as malas, o milho, as cangas, o artesanato, os brincos, os cds, os chapéus, o picolé, o camarão, as tatuagens de hena, as capas de revista da Hola com a nossa foto e mais qualquer coisa que, certamente, me está a escapar. Mas ai de nós se, por estarmos a dormir ou a ler um livro não levantarmos os olhos para admirar devidamente toda e cada uma destas preciosidades ambulantes! É uma enxovalhada de insultos porque afinal a obrigação do turista é estar ali para dará tenção aos vendedores e, preferencialmente, gastar todo o dinheiro em pedaços de madeira que não depois não ficam bem em nenhuma divisão da casa.

A rua principal (e mal se pode chamar de rua portanto está fora de questão imaginar uma fifth avenue) chama-se Passarella do álcool e parece uma cidade Paraguaia daquelas da fronteira onde o contrabando é a principal actividade económica.
A famosa noite de Porto Seguro vive agora a época baixa o que significa que a única discoteca que abria por noite estava, invariavelmente, vazia, apesar da grande abundância de prostitutas… Na sexta-feira é o dia da festa na Ilha nos Aquários, onde se pode dançar com tubarões a passar atrás de nós, mas só depois de apanharmos a barca com a maltinha do casal ventoso lá da zona, o que, por sua vez, é só depois de perdermos a barca por causa do senhor que nos queria vender os bilhetes e nos disse que a barca estava a chegar quando ela estava prestes a partir e do outro que veio atrás de nós a exigir 5 reais (mais de 2 euros) porque por acaso estava ali ao pé de onde estacionámos o carro.

Mas a Ilha dos Aquários vale a pena, teria valido ainda mais se a minha máquina fotográfica não tivesse avariado. Pior foi quando o carro alugado deixou os meus pais paradinhos a meio do caminho, por mau contacto na bateria. Ah ah ah, bendito dia em que eu fiquei a dormir e a descansar na praia do hotel!
Mais coisas boas: a minha mãe foi barrada no aeroporto por suspeita de posse de cocaína, porque levava saquinhos de farinha de tapioca, embrulhados em sacos em cima de sacos, (assim, até eu desconfiava)!



Mas há coisas mesmo boas (se bem que esta da minha mãe não é necessariamente má ih ih ih). As praias são verdadeiramente boas, a água quentinha e a areia fininha, a fazenda da Mãe Teresa é diversão para todas as idades e dizem que o passeio aos Recifes do norte com mergulho também é muito bom.


E sim, vou ter saudades das argentinas com quem partilhei as “grandes noites” de Porto Seguro, da água de coco, dos meninos da pronúncia do Norte que me acompanharam desde o voo de ida, do pão de queijo, do comissário de bordo que me levou a conhecer o cockpit e me ofereceu chocolates, da maltinha de Coimbra que ainda joga vólei pior que eu e a minha irmã e que conhece a Vanessa, das portuguesas de Olhão que são filhas da dona do bar da praia do hotel, do italiano giro, giro, giro (só foi feio quando ele disse que tinha 18 anos acabados de fazer) e da 3ª idade Napolitana que eu tenho cá para mim que era da máfia! Ah, e já me esquecia, dos índios com penas , roupas de palha, riscas na cara e telemóvel no ouvido!



Deixemos de lado o dramatismo e a resmunguice que afinal foi divertido e eu estou bronzeada! E olhando agora para o relógio, penso que amanhã já vai ser hora de acordar cedo e voltar ao trabalho… em Porto Seguro ainda são 19.30…
Ai que saudades das férias!

Comentários

Anónimo disse…
Bem.. tambem não eramos assim tão maus no volei... para a proxima não perdoo, vamos jogar mais a serio.. :p
E convenhamos, como motorista fui espectacular.. :p
Beijo,
A maltinha d Coimbra mais velha
Ale disse…
ah ah ah
não acredito!
como é que descobriste o meu blog???
imagina que eu tinha falado mal de vocês! a internet é msm perigosa...
mas sim, foste um óptimo motorista, sobretudo tendo em conta a debilidade do copiloto! ih ih ih
olha reparei q apareces a correr numa foto minha!
deixa o mail q eu depois mando ok?
biju biju
Anónimo disse…
Uh? Quem é q conhece a Vanessa??
Anónimo disse…
é a irmã do anónimo! chama-se joana e diz que te conhece do ténis... és mundialmente famosa miss spencer! ;p já tás em londres beibe?
besito
Anónimo disse…
Se não é para encontrar o teu blog não o devias por logo no inicio da tua pag do Hi5! Sim pq tb ja encontrei teu profile do Hi5 eheheh
Sou um perigo na net :p
Uma foto d mim a correr deve ser extremamente degradante mas podes mandar para micparra(arroba-não a medida, mas o simbolo-->piada parva)hotmail.com
Beijo
Camila Ciberi disse…
Bom, pelo menos, gostou mais de São Paulo do que de Porto Seguro! =)
Espero que você tenha comido muitos acarajés e tapiocas!
Só quero ver quando você nos vem visitar novamente!
Respondendo a suas perguntas: Não, o homem não pulou, foi para o hospital. E maria-chiquinhas são rabinhos que você faz com o cabelo dos dois lados da cabeça.
Saudades!!!
Anónimo disse…
OMG os Parra! Bem hajam! Ja n os vejo há 3 séculos e meio... O mundo é mesmo pequeno não é?
E só para veres como é mesmo minúsculo, lembras-te daquele meu colega da primária, o gustavo, que, apesar de vivermos na mesma (não tão grande) cidade, nunnca mais vi durante 10 anos até ao dia em que apanhámos o mesmo avião para itália, ele para fazer eramus em bolonha e eu em siena, e depois ele procurou-me em siena e encontrou-te a ti e aos espanhóis mas eu acabei p n o ver pk ele tinha-me mandado um mail m p o mail errado bla bla - adivinha onde é k o fui encontrar 2 anos depois (há uma semana atrás)- NA FINLÂNDIA! E nem sequer foi em helsínquia, foi numa cidadezinha a 1 hora d helsínquia q estávamos os 2 a visitar (apesar d sim estarmos os 2 em helsínquia a estudar durante umas semanas). Tipo... Oo (e sim, combinámos ver-nos dp em helsínquia para sair e tal mas não, nunca mais nos vimos outra vez - talvez daqui a 5 anos, inesperada/, numa vilazeca em marrocos...)
Anónimo disse…
E vou p londres dia 23! 19 days and counting Oo

Mensagens populares deste blogue

O síndrome de Bridget Jones

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens