La Casa


Se me pedissem para desenhar a minha nova casa eu não saberia, primeiro, porque ainda não tive tempo de a observar desde o outro lado da rua, é que à porta a elevada inclinação vertical não permite grandes visualizações, e depois, porque eu também não conseguia desenhar uma árvore, mesmo se quisesse muito.

Vou tentar então uma descrição literária:

Tudo começa no Nº84 da Calle de Mallorca, mas sim, estamos em Barcelona, perto do centro e em frente à Clínica da Corporación Dermostética. A Sagrada Família também fica na nossa rua mas deve ser pelo Nº500 o que significa uma caminhada de pelo menos 45 minutos. Felizmente em Barcelona há sempre um metro onde é preciso. Além do metro, encontram-se nas nossas ruas paralelas variados restaurantes italianos, cafés, “hornos” (padaria em tuga) e até um restaurante japonês.

Ao lado do número 84 estão os senhores marroquinos, que são os chineses cá da zona, e do outro lado há também um supermercado e uma loja de roupa e acessórios para bebé. Assim, dispondo de tudo o que podemos precisar em redor do Nº84, abrimos a porta para o hall de entrada, amplo luminoso e com espelhos a toda a volta, e dirigimo-nos ao 1º 3ª. Pois é, no nosso prédio não há dto nem esquerdo, nem A nem B, há o 1º 1ª, onde no outro dia, por engano, tentei enfiar a chave de casa, o 1º 2ª e o 1º 3ª, onde, efectivamente, vivemos nós. Existe elevador mas só para dois lances de escadas não se justifica.

Foi com grande contentamento que descobri que as minhas queridas companheiras de piso me haviam deixado o melhor quarto da casa, praticamente uma penthouse! É o maior, o único com janelas para a luz do dia e com uma cama para as visitas e espaço real para abri-la. O meu quarto é o compartimento mais luminoso da casa, embora a vista seja para os estendais dos vizinhos todos do bloco - os espanhóis e a mania arquitectónica dos pátios interiores. É uma coisa muito íntima realmente, principalmente quando, como é o meu caso, não se tem cortinas. Nem cortinas nem cabides, os quais foram estrategicamente surrupiados pelas minhas queridas companheiras de piso. Acaba por se justo, assim os quartos delas podem ter alguma coisa que o meu não tem. Não faz mal, com imaginação tudo se faz e eu criei uma autêntica montra nos meus 2 armários espelhados. E não estou de todo em posição para fazer reclamações. O quarto da Rita deve ter 2metros por 2 metros, assim, sem quadrados nem nada, e o da Neuza, embora seja ligeiramente maior, tem o mesmo buraco na parede a dar para o corredor do prédio, a que elas gostam de chamar “janelas”. Então, pelas janelas dos quartos delas, entram os aromas das várias cozinhas e todas as conversas do prédio. Ora assim é que se criam uma verdadeira proximidade com os nativos!

A propósito, consta que os nativos do nosso prédio são maioritariamente pessoas de idade avançada, maioritariamente mas não apenas, que já por duas vezes acordei ao som de” acordes” que pessoas com + de 60 anos nem sabem que existem.

A televisão da sala não tem mais do que 5 ou 6 canais, mas se tivesse nós também não lhes daríamos uso, uma vez que não temos comando e portanto optámos por estabilizar no canal da Anatomia de Gray em espanhol e dos desenhos animados da Rita. É na sala que apanhamos pequenos rasgos de internet, porque, felizmente, para nós e para os piratas cibernautas, ainda há pessoas que não protegem as suas redes. De qualquer modo, estamos neste momento a travar um combate com a Vodafone para termos a nossa própria rede.

Mas o que mais gosto da sala são os posters da Amélie Poulin e do Bucha e Estica, isso sim é decoração de interiores de vanguarda!
A sala também está virada para os estendais dos vizinhos e com a altura dos prédios é verdade que não entra muita luz, mas em compensações temos muitos espelhos pela casa toda!

A dinâmica geográfica do nosso t3 é algo que ainda não domino. No outro dia, entrei lançada em direcção ao lava-loiça para tomar banho e depois fui buscar um copo de água onde a Rita estava a fazer xixi. Antes que me esqueça, tenho fortes motivos para acreditar que das restantes cozinhas e casas de banho se vêem perfeitamente as nossas silhuetas enquanto tomamos banho, tal como nós vemos o “ugly naked guy” da janela da sala.

Ainda sobre a casa de banho, a Neuza fez, numa folha de papel arrancada de um caderno, um azulejo a dizer "Habitación azul", que colou na porta do dito lavabo, o que lhe dá todo um outro charme! Enquanto isso, a Rita sonha em comprar uma tartaruga de terra que pretende colocar na nossa marquise com a máquina de lavar. (Ideia que não tem tido especial apoio por parte das restantes utentes desta residência).

Mas o derradeiro dilema são as luzes, devemos ter cerca de 20 interruptores e eu gosto particularmente de experimentar todos até acertar na luz pretendida.

Até agora, já troquei uma lâmpada, já cozinhei, já lavei e já estendi roupa, já lavei a loiça e até já comprei jogos de cama e sets de toalhas.

Já estou em casa!
E parece-me que estou a ouvir a minha cama a chamar por mim.

Boa noite

Comentários

Ana disse…
Ohh que fofucha! Divirtam-se muito!!***
Rita disse…
A Neuza diz que não se importa com a tartaruga!!
neuza disse…
8! 8 canais tem a nossa tv e só vemos um!
carla disse…
ahhhhhhhhhhhhh!!!!!!!! tb kero tar ai... o meu quarto tem paí 16m2 e eu so devo usar 2, janela pa serra da estrela, garagem e a 3segundos da universidade mas axu k preferia o vosso :) kero tanto tanto
carla disse…
axu bem k a rita tenha uma tartaruga... chata!!

Mensagens populares deste blogue

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Um fim de ano especial, com festa no Palácio Real!

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens