Os "medio-novios"



Toda a gente teve, tem ou terá, amores impossíveis. A lógica é a mesma das cartas de amor ridículas: impossível, é quem nunca teve um amor impossível. Os amores impossíveis também podem ser amores platónicos, porém, a meu ver, nenhum dos termos é suficientemente preciso ou adequado para nos referir-mos à nossa cara-metade utópica. Por exemplo, dizer “O Brad Pitt é o meu amor impossível” ou “A Angelina Jolie é um do meus amores platónicos” parece demasiado abstracto quando, na verdade, há uma relação bem mais concreta do que o que se possa imaginar!

Felizmente, esta lacuna parece ter já algum preenchimento desde que um grande teórico da escola primária espanhola (menos de 1m50 e idade compreendida entre os 7 e os 10 anos) afirmou publicamente que não tinha nenhuma “novia” mas tinha muitas “medio-novias”. O que é uma “medio-novia”? Citando o mesmo autor “Então, eu quero mas elas não”. Note-se a simplicidade e objectividade da definição, em simultâneo com a grande abrangência de possibilidades, uma vez que não encerra qualquer definição relativa à parte apreensiva da relação, permitindo a inclusão de um grande leque (abanico em espanhol) de justificativas e, consequentemente, a aplicação do paradigma a uma infinidade de casos. A fórmula não poderia pois ser mais correcta: uma metade quer, a outra não, logo, è uma coisa a medio!

Tudo isto para dizer que actualizei recentemente a minha lista de médio-novios!
A saga começou nos tempos em que eu me fechava na casa de banho da primária e me transformava numa navegante da lua, por conseguinte, o meu médio-novio de então era o “mascarado” (personagem de desenhos animados japoneses/par romântico da navegante da lua). Seguiu-se o Scott Moffatt (lead singer de uma banda teen de irmãos, estilo Hanson mas com menos sucesso), o príncipe William, o “Gustavo” (personagem da New Wave, dos tempos em que a tvi ainda não nos tinha intoxicado com morangos com açúcar) e, até hoje, o Nuno Gomes, perca o Benfica com quem perder. No entanto, a partir de agora (além do Rodrigo Santoro e do Sérgio Maronne) o Nuno Gomes terá de dividir o seu irrefutável estatuto de medio-novio com “Edward Collen”, um vampiro vegetariano.

E por muito que dê que pensar o facto do meu grau de fidelidade aos medio-novios ser muito mais elevado na altura do “mascarado”, a verdade é que estava claramente em falta na minha lista um médio-novio medio-vivo!

Comentários

tiago disse…
tu és o meu amor impossível
neuza disse…
ahahahahah a foto do Mascarado ali está muuuito boa! Esse grande sex-simbol!
i disse…
o scott moffat!!!! eu era loucamente apaixonada
Ale disse…
tu tb??? n sabes o qt isso me alegra porque quando fui procurar uma foto dele na net para meter no post até fiquei com vergonha... o que será que nós víamos nele?

p.s- ainda te lmbras dos grnds hits?(i mis u like crazy, u r the girl of my dreams, i'll be there for u, etc)? tb compraste o cd de qd eles eram pequeninos?
Camila Ciberi disse…
Você está muito romântica em 2009! E ainda bem que há brasileiros na sua seleção!

Mensagens populares deste blogue

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens

Um fim de ano especial, com festa no Palácio Real!