o "Mar"

Foram 22 anos de lúcida ilusão.
Da Caparica à Ilha de Tavira, da Praia da Rocha à das maçãs. De Porto-Covo aoFarol, do Farol a Paúba e de Paúba a praticamente todos os excertos litorais do Nordeste brasileiro.

Morena, apologista radical da praia, sobretudo quando em dúvida com o campo. Simpatizante de surfistas bronzeados, especialista em tipos de areia e coleccionadora esporádica de búzios e conchinhas.
As bandeiras vermelhas são para desbravar, cautelosamente, as amarelas são susceptíveis de causar irritação porque não são nem sim nem não.

E, no entanto, foi a primeira vez que entrei no mar.
Foi no Mediterrâneo. Praia de Badalona, arredores de Barcelona.
De resto, já tinha ido a 2 continentes mas nunca além do Atlântico.
Não obstante, passei todo este tempo a fingir que sim. Uma vida inteira a ouvir e a perguntar “Vamos ao mar?”

Mas consigo entender o porquê do engano propositado.
Será porque dizer “vamos ao oceano” é mais cansativo e menos poético (e nada em voga).
E, portanto, detonaria por completo o lirismo balnear.

Comentários

Rui Coelho disse…
nca tinha visto a coisa por aí, mas em todo o caso ir à ilha do farol em 40 minutos naquele barquinho onde cabe sempre mais um é uma experiência que pode fazer esquecer o resto.
Camila Ciberi disse…
Estou inconformada que você não entrou nas águas quentinhas brasileiras....
Tracey disse…
hei!! "vamos ao oceano" é muito mais cool que "vamos ao mar"...vou adoptar!

ah, e já fomos à praia sem ti! ahaha quando é q apareces por cá? *
Rita disse…
Eu sempre disse "Vamos à agua?", precisamente porque já tinha pensado nessas coisas todas... =p

Mensagens populares deste blogue

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Um fim de ano especial, com festa no Palácio Real!

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens