O mistério do novo ano

Podiam ser bolos rei, garrafas de champanhe ou até mesmo bacalhaus. Mas logo tinham que ser polvos! Polvos! Milhares de polvos! 500 Quilos de polvo! O que é que os habitantes das freguesias de Canidelo até Valadares vão fazer com 500 quilos de polvo nesta altura do ano? Para não falar num “pé humano” enfiado numa bota. Ainda se tivesse vindo o outro par, agora só com uma bota não dá para remediar ninguém. Que desagradável!
E depois gosto particularmente da expressão “pé humano” porque, claro está, podia muito bem ser o pé de uma mesa de wengué, o pé de um chimpanzé (eles gostam de ir dar mergulhos de botas para a praia ali ao lado de Vila Nova de Gaia) ou um pé de polvo até. Porque não?
Enfim, para aqueles que ainda pensaram em fazer alguma coisa com os polvos, e, muito prestáveis, levaram uns quantos para casa, boa sorte! Eu cá pensava duas vezes…
Consta que, de momento, está descartada a hipótese de descarga ilegal de peixe congelado, já que os polvos eram frescos e alguns ainda mexiam os seus tentáculos (ou pés, como os queiramos chamar). Também fora do baralho parece estar a explicação da poluição porque se fosse esse o motivo, mais rapidamente teriam dado à costa douradas, robalos e ursos polares. Espécies menos resistentes, como toda a gente sabe. Porque cá o polvo é dos valentes!
Entretanto, o ocorrido permanece um mistério impenetrável e vão dissecar os polvos para ver se encontram alguma pista. Kryptonite quem sabe. Se dava cabo do super-homem, podia bem com uns quantos milhares de polvos. Digo eu…
O “pé humano” fica momentaneamente relegado para segundo plano.
Mas já que ninguém diz nada de jeito eu gostava de avançar uma explicação plausível. No filme “O Feitiço”, filme de “culto” (literalmente), um grupo de bruxas adolescentes de minissaia vai fazer um ritual mágico para a praia e no dia seguinte pimbas! Milhares de tubarões mortos dão à costa. Com base nesse fidedigno enredo fictício, parece-me então evidente o que foi que aconteceu: algum grupo de indivíduos deslocados e com hormonas descontroladas fez um círculo de magia negra na praia mas como os tubarões foram todos passar o Reveillon ao lado do Atlântico em que é Verão, vieram os polvos, que era o que de mais impressionante havia nas proximidades da nossa costa.
O “pé humano” é que eu já não sei, mas isso também é de menor relevância não é? Se até a polícia marítima está mais preocupada em desvendar o mistério dos polvos, quem sou eu para inverter as prioridades?!
Estou aqui, isso sim, para mostrar o lado bom da coisa.
Primeiro, Canidelo e Valadares passaram a existir no imaginário geográfico dos portugueses.
E assim também, no início de um ano em que claramente o alinhamento das estrelas não é favorável aos moluscos, Portugal reafirma o seu posicionamento turístico.
Senão vejamos: com o Algarve já largamente conhecido pelo desaparecimento da Maddie, a Madeira a fazer furor com viagens de avião de ida e volta no mesmo dia, e o desenvolvimento e a qualidade de vida do país ao mesmo nível que Malta (eufemismo para países de terceiro mundo), os 5km de costa cobertos de polvos (e 1 “pé humano”numa bota!) encaixam perfeitamente! Estão aliás no seu habitat natural.

Portugal é, cada vez mais, um destino exótico!

Comentários

i disse…
tou muitissimo intrigada com o "caso dos polvos" - isto não é mesmo a gozar lol
Anónimo disse…
Atenção que Canidelo já era um fenómeno no submundo da internet por um filme, com bolinha, com o sugestivo nome de "10 segundos à Canidelo"..
Mas lá que o mistério dos polvos é intrigante é...

Mensagens populares deste blogue

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens

Um fim de ano especial, com festa no Palácio Real!