Onde menos se espera...

Sair à noite, a menos que seja para passear o cãozinho e deitar o lixo, está normalmente conotado com a expansão das fronteiras do conhecimento social individual, que é como quem diz, com o engate. Aqui em Espanha chamam-lhe “ligar”. Pelo que a expressão portuguesa “liga-me, ou então depois ligo-te eu” faz-me uma certa confusão.
No entanto, diante dos tempos transitórios e mutáveis em que vivemos, com a entrada nas discotecas cada vez mais cara e selecta, as pessoas andam a romper com o estereótipo e fazem de qualquer lugar o sitio perfeito para ligar. O metro, a rua, o café, o supermercado e até mesmo a frutaria. (Esperemos que esta nova geração seja um pouco mais criteriosa na altura de escolher o local para o pedido de casamento ou eu não vou dizer que Sim).
Mas oh sim, a frutaria!
Se formos a ver bem, a frutaria tem o seu quê de romântico exótico com todas aquelas frutas: o laranja garrido das tangerinas de Valência contrastando com o amarelo baço das bananas das Canárias . O aroma afrodisíaco a azeitonas e a voz sensual do senhor sul-americano, recitando as promoções do dia pelos altifalantes, no seu tom arrastado, monocórdico e com sotaque “Hoy en Areas de Alimentación 2 kg de cebolla por uno…”.
Esse senhor podia recitar poemas! É mais, esse senhor podia recitar poemas à Neuza, se ela não o achasse demasiado parecido com um índio Tupiniquim. Sem qualquer preconceito, evidentemente, apenas uma questão de gosto e, está claro, índios tupiniquins não se enquadram no da Neuza.
Alheio a esta evidencia , o senhor sul-americano resolveu galantear a Neuza na frutaria, depois de ter passado os últimos 3 meses a dizer-lhe “Hola guapa! a cada travessia dela pelas portas automáticas.
Cauteloso, começou então com o seu típico e esfuziante “Hola guapa!”. Tão típico e esfuziante que a Neuza, receosa e intrigada, me veio perguntar se ele também me dizia “Hola guapa” todos os dias. Não, não diz. Aliás, ele a mim não me diz nada.
Mas pelos vistos com a Neuza é toda uma panóplia de dizeres que até dá gosto!
“Que bem que te cuidas, só compras coisas saudáveis.”
“Pois… aqui na frutaria também não posso comprar outras coisas não é…”
“Não, não, tu cuidaste, nota-se, nota-se. E comes pouco, levas sempre pouquinho…”
“Pois…”
“Ainda bem, assim vens cá mais vezes e eu vejo-te mais!”
“Aah…” (sorriso amarelo baço como as bananas das Canárias).
Na próxima semana acho que ele já a convida para ir ver a sala de gravação das promoções do dia!
Se ao menos a “magia da frutaria” resvalasse para a farmácia da esquina, onde trabalha um rapaz tão giro!
Se bem que a deixa “Ainda bem que estás sempre doente, assim vejo-te mais vezes”, provavelmente não teria o mesmo impacto.

Comentários

Rui Coelho disse…
tudo é possível, ensaia uns cof cofs bem maneirinhos nessa farmácia, aí duas a três vezes por mês, e vais ver que ainda te surpreendes.
Tracey disse…
haha. lembrou-me um filme recente do ricky gervais. ele sai do hospital e dizem-lhe "hope to see you soon", e ele responde "what a terrible thing to say in a hospital!"
mchiavegatto disse…
LOL! Eu outro dia tb "liguei" no supermercado. Ahahah Mas sim, eu tb acho que agora ha toda uma nova dimensao para o engate

Mensagens populares deste blogue

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens

Um fim de ano especial, com festa no Palácio Real!