Só...

Viver com duas grandes amigas em Barcelona comporta um problema grave: o dia em que elas se vão embora. E não digo o dia em que elas se vão embora porque vão de férias. Digo o dia em que eu acordo e as prateleiras estão vazias, as camas despidas e as paredes sem cor. O dia em que já não há perigo de me enganar na escova de dentes porque ela está ali sozinha. Como eu. A partir de agora tenho de ter sempre comida em casa, só posso contar com as minhas roupas, com os meus livros e com o meu próprio stock de…tudo. Não me posso esquecer das chaves. Terei de falar comigo mesma quando entre na minha nova casa porque não haverá ninguém para me ouvir. Só posso contar com o espelho para me dizer o que vestir e se voltar a ter uma crise de urticária não há quem me acompanhe ao hospital. Acabou-se o visionamento proibido de filmes de terror antes de ir dormir, a constante competição para ver quem prega mais sutos pela casa, a cumplicidade das saídas, as idas de compras e os passeios turísticos. O mais provável é esquecer-me de como se fala português. O que também finda a liberdade de ir pela rua comentando e disparatando tanto quanto bem entendêssemos porque ninguém nos percebia.
Olho em volta.
Calaram-se essas imensas gargalhadas que vinham a qualquer propósito e sem propósito nenhum e enchiam a casa. Agora a casa está silenciosa e vazia. Porque está triste. Vou deambulando fantasmagoricamente pelo corredor, à espera de encontrar o que esteve sempre ali desde que me mudei para cá: um sorriso, um ombro onde chorar, uma chamada à realidade, uma história para contar. Alguém que existe connosco e que por isso nos faz existir. Ou, por outras palavras, duas amigas com quem tenho um histórico que recua 12 anos no tempo. O que já são tempos consideráveis para alguém que vai fazer 24 anos na próxima semana.
Entro na cozinha. As nossas fotos, felizes e contentes, acenam-me desde a porta do frigorifico. A porta do frigorífico! Como é que nos esquecemos de falar sobre a porta do frigorífico? Não posso crer. A rã de Salamanca, a Sagrada Família, a vespa de Itália, a bruxa fluorescente que saiu nos cereais… Separámo-nos sem decidir a divisão do nosso extenso património de imanes!

Clarifiquemos o leitor. Não é que nunca mais nos voltemos a ver. É que viver em Barcelona, nunca mais vai a ser a mesma coisa.

Comentários

neuza disse…
:( vou ter saudades!
Camila Ciberi disse…
Vou aí morar com você!
i disse…
ai quase chorei...***
AlexÂnddrrra.

Feliz Aniversario - messmo que hj seja dia 10!

Oi Ale!!!! Não esquecemos de vc não viu!!!

PARABENS! Felicidades! Saude, amor (e ai como e que estão os moços por ai?) e muitas realizações, muitas coisas boas pra vc.
Mande noticias.
E qdo vc vem pra ca de novo?
bjos
Fla e Eloi
AlÊ !!!!!
Feliz anivrsario !!!
Qdo vc vem nos visita, temos ate um quarto para vc ficar, se quiser.

Mande novidades, e aproveitamos para ainda te desejar paz, saude, amopr e tudo de bom !!!!

Fla e Eloi
João Correia (O mecânico) disse…
se calhar é um sinal para voltares...se calhar...

cuida-te*

Mensagens populares deste blogue

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Um fim de ano especial, com festa no Palácio Real!

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens