Abençoada Barcelona

Nunca me senti tão segura. Tenho um par de polícias em cada esquina do meu bairro. O trânsito foi cortado e nas ruas montaram-se ecrãs gigantes e palanques para as câmaras de televisão. Há muito boa gente que hoje não vai dormir com a excitação do dia de amanhã. Mais ou menos o que me passou quando tinha 12 anos e fui ao meu primeiro concerto. Era um concerto dos Moffatts - boysband juvenil agora perdida no anonimato mas outrora muito em voga em todas as edições da Super Pop e da Bravo. Eu era apaixonada pelo vocalista do grupo, Scott Moffatt, que tinha madeixas loiras na parte dianteira do cabelo (comprido).
E esse turbilhão de ansiedade e histeria que os Moffatts despertaram em mim, é hoje sentimento predominante numa larga camada da população catalana. Porque amanhã o Papa vem cá. Cá, aqui, Sagrada Família, a dois passos da minha porta. E o Papa, ainda que sem madeixas loiras, despoleta considerável nível de histeria entre as massas cristãs. Tanto, que desde um mês que os residentes deste bairro estão a alugar as varandas bem posicionadas pelas módicas quantias de milhares de euros. Sai mais barato ir a Roma com a Ryanair, mas as pessoas gostam de ser enganadas. Aliás, porque outro motivo viriam acampar Domingo às 7 da manhã em frente ao templo de Gaudí?
Pronta para aproveitar as oportunidades do mercado do Vaticano, comecei a pensar quanto poderia cobrar pelos 15m2 da minha varanda com vista para as torres da Sagrada Família. E justamente ao ver as torres não tive de pensar mais. A menos que icem sua Santidade por uma das gruas, da minha varanda não dá para ver o Papa. Só as torres. Uma pena, porque já tinha pensado montar um mini-bar de água benta e fazer uma playlist com o top dos coros evangélicos para animar as hostes.

Comentários

Enolough disse…
tiveste piada :D

Mensagens populares deste blogue

O síndrome de Bridget Jones

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens