Quem diz é quem é!

“Acho parvo o refrão da música dos Deolinda que diz «Eu fico a pensar, que mundo tão parvo, onde para ser escravo é preciso estudar». Porque se estudaram e são escravos, são parvos de facto. Parvos porque gastaram o dinheiro dos pais e o dos nossos impostos a estudar para não aprender nada...
... É claro que os jovens tiveram azar no momento em que chegaram à idade do primeiro emprego. Mas o que cantariam os pais que foram para a guerra do Ultramar na idade deles?”
Isabel Stilwell no Destak
http://www.destak.pt/opiniao/87876-a-parva-da-geracao-parva

Se há coisa que me irrita sao as pessoas que têm um pedaço de papel público onde contribuir com algo bom para o mundo e escrevem blasfémias egocêntricas como este artigo.
Ora entao a senhora está incomodada porque os jovens estao revoltados. Porque a senhora acha que estar desempregado nao é metade de mau do que era ir para a guerra do ultramar. Acha que os licenciados nao têm emprego porque nao querem. Que fazem estágios e horas extra de graça porque lhes apetece. Ou entao porque sao incompetentes, porque passaram mais tempo no bar da universidade que nas salas de aula.
Deixe-me que lhe diga, minha senhora, que a Universidade nao ensina ninguém a fazer o seu trabalho. Só o trabalho pode ensinar alguém a trabalhar.
Deixe-me que a informe, minha senhora, que eu sou do Curso de Ciências da Comunicañçao mais afamado do país onde, dizem, só entram os melhores alunos de Humanidades. E que esses melhores alunos do país que terminaram esse curso tao jeitoso e fizeram estágios em que tinham de acordar às 5 da manha para ir trabalhar de graça, agora se encontram:
a) Desempregados em Portugal
b) Empregados em condiçoes precárias em Portugal
c) Empregados com boas condiçoes noutros países

Deixe-me que lhe conte, minha senhora, que após terminar o curso passei por um apertado processo de selecçao e entrei no Departamento de Comunicaçao de um dos maiores e mais antigos grupos do país. Onde, em full time, me pagavam menos que na pequena empresa familiar de Barcelona em que comecei a trabalhar em part time há 2 anos.
Deixe-me que nao acredite, minha senhora, quando escreve isto “Felizmente, os números indicam que a maioria dos licenciados não tem vontade nenhuma de andar por aí a cantarolar esta música, pela simples razão de que ganham duas vezes mais do que a média, e 80% mais do que quem tem o ensino secundário ou um curso profissional.” Que númeors? De que estudo? De que ano? De que fonte? De que média? Da que ganha o subsídio de desemprego?Ena pah, entao os licenciados ganham 800€ depois de cada ano da faculdade ter custado 900€. Yupiiii! E de que licenciados estamos a falar? Dos que terminaram o curso com a minha mae ou dos lienciados nos últimos 5 anos?
Deixe-me que lhe continue a contar, minha senhora, que a maioria das pessoas que acabaram o curso comigo teve de “dar a volta à vida” como diz, saindo do país: Espanha, Reino Unido, França, Hawai... E que os que ficaram estao ou sem trabalho ou a trabalhar em condiçoes medíocres.
Bem, se outros países nos dao trabalhos melhor remunerados e bolsas de ajuda económica, entao nao me parece que sejamos parvos. Parvo é o país que desperdiça os seus melhores alunos.
Deixe-me que me desculpe, minha senhora, em nome de todos os jovens que nao têm de ir lutar para África. Perdao, se Portugal já nao está em guerra e por isso o país se pode desenvolver e evoluir para outro tipo de problemas de um país pacífico, como é o caso do desemprego.
E por último,minha senhora, deixe-me que lhe faça um pedido. Da próxima vez que publicar alguma coisinha num jornal, argumente com provas e faça um bocadinho de pesquisa antes. Ou nao aprendeu isso na Universidade?

Comentários

Cate disse…
Sei bem o que é isso.
Enolough disse…
subscrevo!!
a revolução não se fará no Destak... idiota da mulher, chegou ao mercado de trabalho em tempo de vacas gordas e argumenta sem dados. a verdade é que o problema não está nos licenciados, está nos JOVENS licenciados e nos RECÉM-LICENCIADOS.
Lolly disse…
A-d-o-r-e-i! ;) u go darling (vou divulgar, a ver se chega à senhora lol)
Verbo y verso disse…
Cuando había servicio militar obligatorio, un gran número de jóvenes quedaba fuera del mercado de buscadores de empleo.
Ahora, ese colectivo busca su primera ocupación o lo ha conseguido con sueldos ofensivos....
Sólo los jovenes han de labrarse su futuro AHORA...
¡Suerte!

Mensagens populares deste blogue

Um fim de ano especial, com festa no Palácio Real!

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

O melhor plano de fim de semana (e vai daí talvez não)!