Haja vergonha na cara!

Vamos trocar as coisas por miúdos porque eu não sou economista nem sou político e as ululações estilísticas aqui estão de sobra.
Os salários foram cortados, a idade da reforma aumentou, as pensões baixaram enquanto o desemprego e a inflação aumentaram. Os jovens recém-licenciados não têm vez no mercado de trabalho. Que não é um mercado é uma lotaria. Tivemos de pedir um humilhante resgate financeiro que nos vai custar os olhos da cara, o computador dos miúdos e as férias que tanto merecíamos. Na melhor das hipóteses. Nas demais serão a carne e o peixe em cima da mesa.
Somos o rabinho da Europa. E sujo ainda por cima.
Fugir. Fugir para o Brasil, para Espanha, para Inglaterra. Salve-se quem puder!
Portugal é um autêntico Titanic. E quem foi o comandante desta tragédia? Quem? Quem? Quem? O senhor Primeiro Ministro e esse descalabro a que chama governo.
Um senhor que falsificou o seu currículo com uma licenciatura que não tem, que construiu um centro comercial numa reserva natural a troco de muito dinheiro negro para o seu bolso Armani, que despachou todos os jornalistas e programas de televisão que o desmascaravam e isto são só algumas coisas que sabemos. Imagine-se o que desconhecemos.
Este foi o senhor que afundou o país enquanto viajava com chofeur e corria nas passadeiras do Holmes Place. O senhor que tem a cara de pau de se recandidatar e dizer que não foi culpa dele. Nããããão. Foi lá agora culpa dele. Foi tudo obra do Espírito Santo. Os boys, as concessões ilegais e as 1001 aldrabices com a sua assinatura por baixo. Inocente 100% está claro. Pior que esta aventesma que um dia a democracia deciciu que estava apta para governar Portugal, só mesmo as pessoas que não mudaram de ideias e cogitam voltar a confiar-lhe o seu voto. Porque no fundo ele é um fofo coitadinho. Ai! Ai! Ai que se me esmiúça o nervoso e me faz pensar que há coisas que só à chapada!
Vamos lá ver minha gente, quando um aluno não acerta nas perguntas de um exame chumba, quando um cantor desafina recebe assobios e tomates na cabeça, quando um trabalhador não cumpre com as suas tarefas recebe advertências/é despedido, quando um desportista falha perde o jogo. Tem lógica não tem? Então, quando a administração de um país faz merda (essa palavra ironicamente tão portuguesa) tem de sair de cena, ir para casa, adeusinho hasta la vista baby! Não vos queremos de volta porque já nos lixaram o suficiente.
Se José Sócrates não tem vergonha na cara e acha que pode fazer as pessoas de parvas é lá com ele e com o “Luís”.Que olhe para as câmaras desde o seu ângulo mais fotogénico é para o lado que eu durmo melhor, as barbaridades que diz continuam as mesmas. Agora, se as pessoas querem ser feitas de parvas já é um problema nacional, uma ofensa à inteligência de todos nós, uma vergonha histórica, um cair no ridículo sem possibilidade de voltar a estar de pé.
Pensemos todos um bocadinho: quando foi a última vez que ele nos disse alguma coisa que era verdade? E o que é que ele fez de bom por nós nos últimos 6 anos?
Pois é… acho que estamos entendidos.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Um fim de ano especial, com festa no Palácio Real!

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens