1/4 de século

Lembro-me de escrever uma carta ao Pai Natal com o meu pai. Bem, na verdade ele é que escrevia porque eu ainda não sabia. Eu sabia o que queria. Por isso eu ditava a carta. Hoje sei escrever. Mas já não estou tão segura daquilo que quero. Queria tantas coisas e sonhei ainda mais. Inventei uma espécie de meta etária para cumpri-las e abandonar as dúvidas existenciais que poluem as nossas decisões nos momentos cruciais. Os 25. Aos 25 eu já ia saber tudo, já ia ter publicado um livro e já ia ter a vida encaminhada para sempre. Hoje faço 25 anos. Um quarto de século. E a minha vida anda a deriva entre Barcelona e qualquer outro país do mundo onde surja uma boa oportunidade. Pelo menos o livro foi publicado, em co-autoria, mas publicado. Quanto a saber tudo, parece-me que sabia mais quando ditava cartas para o Pai Natal. Paradoxalmente, são lembranças como essa que tocam aquele alarme que soa imponente e diz “alto e para o baile, porque ele há cá uma coisa que tu sabes muito bem”- Foram 25 anos felizes. 25 anos de experiências, alegrias, surpresas, desilusões, fantasias, desafios, derrotas,conquistas... enfim, todo esse sururu consecutivo e inconstante a que convencionalmente chamamos de vida.
Pensava que aos 25 teria mais, que seria mais, que ganharia mais, que estaria mais, que saberia mais. Mais o quê? Não sei. Lá está, a precisão de saber o quê parece desenvolver-se na proporção inversa ao avanço dos anos. Hoje sei apenas que se os próximos forem como os últimos 25, estarei tão feliz como quando escrevia ao pai Natal e não sabia de nada. Mentira. Sabia exatamente os brinquedos que queria. E isso era tudo o que tinha de saber.
Talvez quando chegue aos 30 já saiba mais qualquer coisinha...

Comentários

Verbo y verso disse…
Y cada día se aprende algo nuevo y en la mochila van quedando ilusiones inconclusas, esas que no se olvidan del todo, pero que fueron relegadas al elegir otras más interesantes.
A partir de este 25 hay que consolidar los saberes y hacer fructificar las veredas por las que se transita.
Feliz cumpleaños y que, cuando cumplas tres veces 25, sientas que tu vida ha sido plena.

Mensagens populares deste blogue

O síndrome de Bridget Jones

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens