Hoje vamos chamar a música

Dei-me conta que em 3 anos de intensa postagem sobre a Cidade Condal nunca soltei as palavras para a música. A música catala. Nunca. Muito Barça, muitas festas, muito trabalho, ou talvez nem tanto. Comidas, políticas, ruas, casas, mudanças, cheiros e pessoas. Tudo menos música. Porquê? Bom , primeiro porque as músicas em catalao me soavam tao familiares como musicas em romeno. Ou como o que eu imagino que sao músicas em romeno. Mas, paulatinamente, o ouvido foi-se habituando à falta de vogais e ao sotaque trancado entre os lábios. Algumas músicas catalans até já me soam prazeirosas e perceptíveis. Tanto, que as consigo comparar com determinados estilos e artistas portugueses. Deixo pois aqui um mise ensemble das minhas músicas catalas preferidas. Acompanham comentários para mais ou menos (muitos menos do que mais, nao se iludam) entendam o que é se passa em cada cançao.

La petita rambla del Poble Sec – A Pequena rambla do Poble Sec



Fala de um rapaz que espera uma rapariga numa praça de Poble Sec (bairro característico de Barcelona) e vai cantando as suas consideraçoes sobre a vida e o teatro vazio, como se estivesse a falar com ela. Diz-lhe que voltarao a pôr os pés debaixo da areia, na praia de Barcelona, alguma noite de Julho. A areia das praias de Barcelona é lamentável. Isso ele nao diz, que nao lhe devia encaixar bem no esquema rmático, mas digo eu que estou insenta de cumprir métricas.
Por: Cesk (diminutivo de Francesc) Freixas. Um jovem com rastas e um aspecto pouco limpo mas umas músicas melódicas e com letras da terra.
Em português seria: Uma espécie de Tiago Bettancourt (sem rastas).

Boig per tu – Louco por ti



Uma cançao de amor dedicada à lua e à impossibilidade de chegar até ela. Uma metáfora para todos os apaixonados sem final feliz. "Servil e acabado, louco por ti".
Por: Sau – antigo grupo catalao cujo cantor morreu em palco de uma overdose.
Em português seria: Anel de Rubí de Rui Veloso (vivo).

L’empordá – O empordá



O empordá é uma zona da Catalunha onde há um vento (Tramuntana) que, diz-se, deixa as pessoas lélés da cuca. Esta cançao fala de um senhor de Empordá que dizia sempre que se ia matar de manha mas ao meio dia já estava bêbado de mais para tal. mas afinal também nao tinha pressa. Ninguém o esperava lá em cima e ir ao ao inferno nao lhe interessava nada, que assim como assim o Empordá é mais bonito.
Por: Els Pets – grupo rock catalao
Em Português seria – Xutos e Pontapés com a Maria ou os Contentores.

Oh Jennifer – oh Jennifer



Uma cançao irónica e divertida que reúne tudo o que é ser catalao e a desgraça de, sendo assim tao catalo, se apaixonar por uma “choni” (foleira) de Casteldefells (zona fora de Barcelona). Os versos dizem coisas como “Eu que sou mais catalao que as anxovas do natal, eu que tenho sonhos eróticos com o Jordi Pujol (presidente da Catalunha durante mais de 20 anos - velho e nao belo) eu que tenho o hino da catalunha como toque no telemóvel e a bandeira hasteada na varanda (...) agora apaixonei-me por uma foleira de Castefa, oh jennifer faria tunning no meu carro por ti...”
Aqui nao basta entender as palavras, é preciso saber o que significam os vários nomes de referência do mundo catalao, desde actores, cantores, políticos, festas, comidas, programas e canais de tv, etc.
Nao desesperem, nem eu com 3 anos da catalanhices consigo entender tudo, tudinho.
Por: Els catarres – grupo novo formado por 3 jovens catalaes estranhos.
Em Português seria – Uma rumba dos Deolinda em vez de um fado.

4-3-3 – 4-3-3



Como o próprio nome táctico indica, é uma cançao que remete para o futebol, em jeito de transmissao em directo, num vídeo com o Barça, Ámen. Fala dos defesas, do guarda redes e do ataque. Nao obstante, no refrao descamba para “ooh lê lê lê ohhh lá lá lá um shwarma contigo é o melhor que há”, fazendo assim uma alusao gastronómica com influências árabaes à cançao dos adeptos do FCB “ooh lê lê lê ohhh lá lá lá ser do Barça é o melhor que há”.
Por: Els amics de les arts
Em portugués seria – Os pontos negros (se ainda existirem).

La gent normal – A gente normal



Cover do conhecido tema dos Pulp “Common People”. A letra é assustadoramente a mesma do original inglês, o que já por si é todo um prodígio: houve algum catalao que nao só conseguiu fazer a traduçao da cançao como ainda por cima a arrumou nos devidos tempos e acordes. Sem palavras. O vídeo filmado num mercado "molt catalá” quase nos faz acreditar que “La gent normal” é de Barcelona.
Por: Manel - assim, tal e cual a gênt’ diz no Algarf (ou a gent’ dizêmshhh para os mais tradicionais).
Em Português seria: Um dos milhentos covers dos Onda Choc (com menos cor de rosa. ).

Comentários

Rui Coelho disse…
móoossss como isto é bonito.

Mensagens populares deste blogue

O síndrome de Bridget Jones

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

A sentencia das estrelas