Unlike

Aparentemente sou a única pessoa que nao gosta da nova campanha da Benetton. E eu sempre gostei das campanhas da Benetton. Gostava de como utilizavam algo potencialmente fútil, como a moda, para passar mensagens com valor.
Gosto de coisas irreverentes, originais, atrevidas. Gosto de impactos. Mas com brilhantismo. Porque impactar por impactar podemos ir todas a correr pelo meio da rua com as blusas levantadas, et voilá!
Correndo o risco de ser chamada de mente capta vou mesmo dizer que nao vejo nenhum brilhantismo numa fotomontagem com o Sarkozy a beijar a Merkel .
Impactar, impacta-me. Por grotesco.
O "Unhate" no canto superior esquerdo da imagem é bonito. O resto é fácilmente chocante. Fácilmente polémico. Demasiado fácil. Sem graça fácil. Enfim, fácil.
Assim que vi a primeira foto da Unhate, que calhou ser a do Obama, pensei: já nao sabiam o que fazer, já nao conseguiam imaginar nada realmente bombástico e entao disseram, o que é que seria mesmo mesmo mesmo chocante para o mundo? (E que por isso nos trairia publicity em todos os meios de comunicaçao de todos os países, em todos os blogs – cá estou para comprová-lo – e em todas as redes sociais). Nao é uma pergunta fácil de responder depois do mundo ter visto a Katy Perry nos últimos VMA’s.



Mas houve algum iluminado que saltou e disse “O Obama a beijar o Bin Laden!”. Como supostamente o Bin Laden está morto, puseram o Hugo Chavez na foto. E a partir daí foi sempre a aviar.
O Vaticano já lhes pôs uma denùncia em cima por uso indevido da imagem do Papa, que aparece a dar um beijinho a um senhor com um chapéu de extremo mau gosto. (Ainda assim, menos mau que o cubo amarelo que a amiga Katy levava na cabeça).
Quantas mais fotos vejo, mais desiludida fico. A sério que nenhum dos salários milionários que têm por aí conseguiu pensar em nada que nao atacasse a lei dos direitos de imagem a 200%, que nao explorasse a fama alheia com fins comerciais e que realmente privilegiasse a transmissao da mensagem em causa em vez da advertising value equivalency?* Sim, conseguiram: muito jornal, muita televisao, muito facebook e muita muita muita gente a falar da Benetton. Mas uma campanha contra o ódio (Unhate) que despoleta a fúria do representante de Deus, nao vos parece algo contraditória? A mim sim e eu nem sequer sou católica.
E além de contraditória parece-me a Ryanair. Com menos humor.
I made my point.

* Advertising Value Equivalency é uma medida utilizada por departamentos e agencias de comunicaçao para quantificar em cash o valor da publicity de determinada marca, producto, etc. Publicity é conseguir cobertura mediática sem pagar aos meios de comunicaçao.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O síndrome de Bridget Jones

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens