Era uma vez uma noite...

Algodao doce na Oysho, barra livre de Malibu ananás na Mango, 20% de desconto na Blanco... nao, nao foi um sonho, foi a Barcelona Shopping Night. Uma noite que hoje aparece em todos os jornais e televisoes de Espanha, gloriosa.
Uma noite por ano em que todas as lojas do Passeig de Gracia sao Cinderelas e têm licença para abrir até à uma da manha. Esmeram-se nao só nos sapatos mas em divertidas surpresas e apetitosas promoçoes para os clientes. As lojas de luxo, snobs por natueza, fizeram de irmas más e recusaram-se a abrir as portas para um evento tao popularuxo. Azar o delas. O Passeig estava a bombar! As lojas tinham mais gente que nos primeiros dias de saldos (sim, era um bocadinho assustador) e as iluminaçoes de Natal brilhavam por primeira vez em forma de majestuosos chandeliers. Os Djs faziam de cada passo uma dança, fosse dentro das lojas ou no meio da rua, cortada ao trânsito e invadida pelos mais variados stands. Uma pessoa podia acabar com um pedaço de queijo da serra numa mao e um copo de champanhe na outra, enquanto algum profissional lhe fazia caracóis no cabelo e outro lhe dava conselhos de imagem. Havia stands e lojas para todos os gostos. Festas também havia muitas, privadas e públicas. A bem dizer todo o Passeig era uma festa, com as luzes imponentes e as gentes contentes. O frio trepidante nao desencorajava a animaçao de ninguém, que isto eram pessoas capazes de meia hora de espera de pé para o Malibu ananás grátis. E gente com essa dureza nao se pode subestimar.
Apesar de invadida por um exacerbado impulso consumista, acabei por nao trazer nenhum saquinho para casa. Uma vergonha. Mas a multidao estava que parecia o muro de Berlim. Nao havia como chegar aos artigos, imagine-se experimentá-los. Ainda me enchi de coragem e agarrei uma mala mas quando olhei para a frente e nao consegui avistar nem sequer o topo da cabeça da senhora da caixa, desisti.
Fez-me lembrar as filas do Santo António para ir à casa de banho. Só que desistir de fazer xixi é mais complicado. Na verdade, fez-me lembrar a noite de Santo António em geral, com Djs em vez de música pimba e tapas em vez de sardinhas. A aglomeraçao de pessoas era exactamente como a que temos entre a Sé e o Castelo, estao a vêr?
E tal como o Santo António, p’ró ano há mais e recomenda-se.



http://www.theshoppingnight.com/

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O síndrome de Bridget Jones

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens