Pisa-pisa-maos!

Voltamos aos posts futbolísticos, com extrema carência de conhecimentos e precisao técnica mas com uma amplia opiniao egocêntrica.
Nao vi o jogo. Enquanto Pep pisoteava Messi, eu assistia a uma comédia romântica com a Jennifer Lopez, o Matthew McConaughey e um pote de gelado da Haggen Daz. E, no entanto, tenho a sensaçao de ter estado no mesmíssimo Bernabeu.
Como previsto, os media e as redes socias esquartejaram o jogo de ontem incessantemente e ao pormenor. Escapou-se-lhes apenas um detalhe, que eu anunciarei aqui em primeira mao.
Mas antes, o resumo: O Barça ganhou outra vez, como em 13 dos últimos 16 encontros contra o clube de Mou, José Mou. Esta informaçao foi tirada do canal de televisao Antena3 e de nenhuma forma confirmada pela minha pessoa. Mas achei que adicionaria um toque de rigor ao presente post. Destaca-se do clássico a unanimidade jurídica da imprensa. Todas as letras gordas condenam Pep. Sim, estou de acordo, Pep é um cadidato cada vez mais forte a uma brilhante carreira de homem do talho quando os seus dias como agressor chegarem ao fim. Até mesmo Mourinho, o mestre da anti-ética, declarou que a açao do português que nós sabemos brasileiro, fato que o resto do mundo parece desconhecer, seria condenável se intencional. Nao obstante, e segue agora esse detalhe explosivo que parece ter passado despercebido, eu acho que estao a exagerar. "Pepe camina sobre Messi; "¡Escándalo!: otra agresión impune de Pepe a Messi"; "¡Pepe, fuera del fútbol!" parecem-me sentenças largas para o que nao foi mais que uma pisadela na mao do melhor do mundo. Foi uma pisadela cheia de má vontade e vazia de carinho, é certo. Foi uma pisadela completamente desprovida de fair play. Correcto. Mas, foi só uma pisadela. Na mao. Nao foi uma cabeçada nem um soco na barriga, como velhos conhecidos perpeturaram nos seus dias, nem foi um atropelamento ao calcanhar nem ao fémur do Leonel. Foi coisa para umas vaias fortes, um cartao quem sabe e uma chapada na cara, por ser tao rudemente estúpido. Mas nao foi coisa para tanta coisa como os jornais dizem. Se nao veja-se, nas imagens abaixo, a quantidade de semi-piruetas que Messi executa, para um lado e para outro, qual Relva dos Cisnes. Está, supostamente, em sofrimento e, coincidência das coincidências, a dor fa-lo despencar justamente quando vê que o árbitro se está a aproximar. Num momento está sentado a agarrar na mao, tudo normal, no momento seguinte está a rebolar pelo chao. Só le lhe faltou fazer o pino.
Ora, recentemente arrancaram-me uma glândula num processo que doi mais que ter um filho (de acordo com os médicos porque isso é departamento em que eu nao tenho qualquer experiencia) e rebolar e dar piruetas foi coisa que nao fiz. Nem antes, nem depois, nem agora. Quando doi alguma coisa mesmo a sério, ninguém se poe a fazer acrobacias. Isto é o que eu vos digo e reitero, por muito que os media espanhois digam que se tratou de uma tentativa de homicídio em primeiro grau.
Permanecerá um eterno mistério o que dizem os comentadores:


Comentários

Mensagens populares deste blogue

O síndrome de Bridget Jones

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

A sentencia das estrelas