Cala Morisca


E quando uma pessoa já quase nao se lembra de que é imigrante, lá vem aquela tradiconal pergunta chacoallar a memória. Começa com um “ Não conheces???” e acaba num esgar escandalizado de choque.  Nao, meus queridos espanhois e mais que tudo catalaes, eu não sei quem é o Fonsi Nieto, nem o Angel Nieto, nem a Martina Klein, nem o grupo Pereza, nem os desenhos animados do Naranjito nem todo esse infinito roll de celebridades cá da terra.  Lo siento. Em sap molt greu.
Mas se por um lado nao me podia estar marimbando mais para o “jet siete”, houve um “Nao conheces” que me deixou com a espinha na garganta. “Nao conheces a Cala Morisca?”. Nao. “Nunca foste à Cala Morisca?” (Se não conheço, por conseguinte, nunca fui, nao é?). “Ahhhhhhh!”.
Pois que nem “Aaaah!” nem ontem, este Domingo quando ele perguntou a que praia é que eu queria ir nao tive dúvidas. Cala Morisca.
Está no meio da montanha, o que implica curvas pouco agradáveis, e tem um parking pago, o que é mau para a nossa economia pessoal mas garante uma certa selecção de público e, principalmente, reduçao, o que é sempre agradável  em Agosto. 





Depois vem aquela parte em que estamos a descer as escadas e nos deparamos, sem prévio aviso, com a bunda ao léu de um senhor. Desviamos o olhar e pumba! Outra bunda por aqui, um pipi por ali. A Cala Morisca é uma praia de nudistas. Nao só de nudistas, mas também. A bem da verdade, a maior parte dos usuários até vao com fato de banho, nao obstante, ninguém se livra de dar uma voltinha na toalha e encontrar um exemplo da criação humana tal como Deus a pôs no mundo.
Exceptuando esse apanágio do naturalismo, a praia é bonita,  cravada no meio da montanha à borda do mar, sem vendedores ambulantes nem burburinhos constantes.
Paz, espaço e águas cálidas. Areia fina, coisa rara em Barcelona.
Ondas que animam a entrada no mar e rebentam sem perigo.
Relax.  
Há um restarante e um bar de praia para quem tem fome e, ao contrário de Saint Tropez, pode-se comer à vontade sem voltar com a carteira em fanicos.
À noite dizem que o restaurante se transforma num club, não ficámos para comprovar, outra vez será.
 Até porque o processo de integração é, afinal,  ininterrupto.



Comentários

Mensagens populares deste blogue

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens

Um fim de ano especial, com festa no Palácio Real!