É Natal? Onde?


O meu espírito natalício está abaixo de mínimos. Desde o roubo do iphone, sucederam-se pequenos desastres que a organização e burocracia espanholas se encarregaram de tornar devastadores. Primeiro, fiquei sem internet em casa e demorei 4 dias, uma deslocação à loja, duas chamadas e duas horas ao telefone, para conseguir que me abrissem uma incidência. Depois, foram mais 4 dias para que resolvessem o problema que era deles, da central deles e de mais ninguém. Entretanto, também fiquei privada dos serviços de chamadas e de internet no meu telemóvel, por um erro aleatório de configuração.
Sem adsl, sem telemóvel e sem nenhum tipo de conexão à internet, o chão da cozinha começou a expulsar água, manifestando a sua raiva. Cada lavado de loiça equivale a uma pequena inundação. O que seria uma desculpa excelente para não lavar a loiça, mas não seria sustentável a longo prazo. Quando ponho a máquina de lavar é todo um manancial que desliza até a casa de banho onde, das raízes da retrete também brotam pequenos charcos. Avisei o caseiro que avisou o seguro que me mandou um canalizador que disse que tinha de vir o carpinteiro. Veio o carpinteiro e disse que tinha de ver o perito. E assim se passaram duas semanas. Na próxima segunda virá o perito para que depois venham, outra vez, o carpinteiro e o canalizador. As perspetivas de buracos na parede da cozinha, canos de fora, ferramentas ruidosas mais pó e sujidade pelo ar, desencantam qualquer vontade de montar decorações de Natal. Totalmente imbuída no espírito da época está a polícia local, para quem Dezembro corresponde a época de angariação, com bónus por multas e outros incentivos democráticos. Assim, qual reis magos, fecharam-nos um bar devido a uma irregularidade com o som que já está solucionada. Sim, está solucionada. Sim, temos os papeis em como está solucionada. Sim, mostrámos os papeis à polícia. Então? Ah, claro, os papeis não estão aprovados pelo técnico do Ayuntamiento e os polícias querem comprar a nova wii aos seus filhotes, para isso precisam da comissão que vão ganhar por nos fecharem o bar na véspera de um feriado com jogo do Barça para a champions league! Podiam ter vindo na segunda-feira, ou na terça, não, não, não, vieram quando sabiam que ia doer mais e que não seria reversível durante os dias seguintes: feriado, sexta-feira de ponte, fim de semana. Aguardamos então que algum político se digne a ir trabalhar e enviar os nossos papeis para a revisão do técnico o qual, por sua vez, tem que se dignar a revê-los e enviá-los de volta. Ou seja, estamos fechados por tempo indefinido devido a uma irregularidade inexistente.
Para colmatar esta mini-série de infortúnios, fui ver o Benfica ao Camp Nou, infiltrada nas trincheiras catalãs com o meu cachecol do SLB e completamente congelada, com estalactites na ponta do nariz. Quando me levantei, senti os ossos dos joelhos e das pernas a estrebuchar, como um carro que não consegue arrancar. Desde o intervalo que já não sentia as mãos. E valeu a pena expor assim a minha vida ao frio e ao vento e aos adeptos “culets”?
Não, não valeu, o Benfica não perdeu mas está fora da Champions League e não marcou nem um golinho contra a equipa secundária do FCB.  
Pergunto-me se a Maria também teve de ultrapassar tantas provas e desgostos antes de chegar ao estábulo. 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens

Um fim de ano especial, com festa no Palácio Real!