The US Government is temporarily closed. We are sorry for the inconvenience.

Este post ia ser sobre a NY Public Library. Um símbolo da cidade, uma meca dos livros e, para todos os seguidores do Sex and The City, o lugar onde o Big deixou a Carrie plantada, qual tenro rábano, no dia do casamento. Verdade seja dita, a biblioteca pública de NY é bem mais um sítio de silêncio que um salão de eventos. Apesar do burburinho dos turistas que desfilam pelos corredores e tiram fotografias, descaradamente, em frente aos sinais que dizem “Proíbido tirar fotografias”. Eu também tirei uma, sim senhor, mas sentei-me ao fundo da sala, a milhas dos sinais de proibição, e ainda me escondi atrás do candeeiro da mesa. Tudo muito discreto, com o telemóvel sem som e a máquina sem flash, ninguém deu por ela.



Depois escrevi. Escrevi até apagarem as luzes e nos expulsarem às 17.45 em ponto. A biblioteca fecha às 18.00. Mas este post já não vai ser sobre biblioteca porque, entretanto, outros assuntos de maior relevância se levantaram.
Então não é que fecharam o Governo dos Estados Unidos da América? Fecharam! Assim como quem fecha o café da esquina ou o cabeleireiro do bairro. Pergunto-me se também puseram um “closed” na porta da entrada ou um “obrigado aos nossos fiéis clientes”. Quando ouvi o discurso do Obama a anunciar a possibilidade de fechar o Governo, fiquei bastante confusa. Eu, na minha santa ingnorância, não sabia que se podiam fechar Governos. O Governo protuguês já afundou, aliás, está a bater no fundo mais profundo, mas, tanto quanto sei até à data, continua aberto. Achei que ele estava a fazer bluff. Que era demasiado surreal fechar o Governo e que as consequências não beneficiavam absolutamente ninguém.





Mas parece que os senhores senadores não acharam o mesmo que eu. Puseram-se de acordo em não se pôr de acordo sobre a lei, já aprovada, de health ensurance. God forbid que as pessoas pobres possam ter acesso gratuíto aos hospitais! Vai daí não aprovaram um orçamento de estado, deixando o Governo sem budget, sem dimdim, sem pasta, pelo que, compreensivelmente, o governo não pode funcionar. E quem se lixa não são os senhores senadores, cuja obrigação era aprovar um orçamento dentro de um prazo estipulado e falharam redondamente. Não. Quem se lixa são os trabalhadores das insituições do Governo que ficam suspensos e/ou com atrasos nos salários. Quem se lixa são os pensionistas que ficam sem os lares e os turistas que ficam sem a Estátua da Liberdade e sem museus, galerias, parques e zoos por essa América fora. Há uma lista exacerbadamente extensa de insituições e departamentos governamentais que fecham e, consequentemente, milhões de pessoas que se lixam. A contar apartir de já. Desde a meia noite e um minuto, hora de NY.  
Fosse em Portugal e já estava a UE a cair-nos em cima, o investimento estrangeiro a bater em retirada e o FMI a oferecer-nos  mais um simpático empréstimo para, sei lá, fazer uma festinha de reabertura do Governo.  
Mas é nos USA e aqui tudo é possível. Para o bom e para o mau.

Só espero que não fechem a biblioteca. 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens

Um fim de ano especial, com festa no Palácio Real!