Graduation time!

Há tanto tempo que queria isto e agora já está feito. Está aqui na mesa da sala, com 116 páginas e um título provisório.  Recebemos um diploma, fizemos um mini lanche, levámos flores e bombons à professora (ficámos amigos dela no facebook). Escrevemos um guião. Não será o guião de um Óscar, não será a versão final do guião e o mais provável é que nem sequer seja um filme. Mas é o nosso primeiro guião.  O nosso bebé. O que mais queríamos acabar e o que nos deixa com uma lágrima a pender dos olhos por já termos acabado.
Foi o fim de oito semanas de sequências, beat sheets, private moments, centenas de cenas, diálogos e personagens. Fictícios e verdadeiros.
Oito semanas a almoçar em superfícies de plástico. Oito semanas de luta com a impressora da escola. Oito semanas de quarta-feiras no Rathbones porque fazem uma promoção com as chicken wings.
Sabe a pouco acabar assim... em oito semanas. Queria prolongá-las um  por aí, pela imsensidão do tempo sem medida. Que é, mais ou menos, quanto duram os sonhos, até os realizarmos.
E agora? Agora que já cheguei, já escrevi e já acabei. Por onde é que sonho continua? Para que lado vai a sequela? Haverá neve em Novembro? Espero que não. Mas agora... agora fico aqui para ver. 
Até dia um de Dezembro tudo pode acontecer.
Vou escrever, vou editar, vou inventar. Passear, conhecer, viver!
E depois vou voltar. 
Com 116 páginas, um título provisório e a coragem de ter posto a minha vida em stand by e ter vindo desde o outro lado do oceano, para estudar screenwriting em NY. Com tudo pago por mim mesma, depois de dois anos a trabalhar de dia e de noite para juntar dinheiro. Que gastar o dos pais é sempre bom, mas conseguir juntar o nosso para fazer o que sempre quisemos fazer, tem outro je ne sais quoi. Sabe mais a crepe de nuttella!
E que melhor final para este post que uma inspiradora citação da nossa professora “...now you can go back to your bosses and say, yes I left my job to go to NY, but I WROTE A SCRIPT, what did you do motherfucker?”.
The end.

(E que o fim possa ser o princípio de something else).



Comentários

Mensagens populares deste blogue

O síndrome de Bridget Jones

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens