Dia da mulher com batatas

Há muito tempo que deixei de acreditar que podia mudar o mundo. Foi mais ao menos à medida que pus de lado os cd’s dos backstreet boys, que deixei de ver os Morangos com Açúcar e que joguei fora a pilha de revistas da Super Pop e da Bravo (não necessariamente por esta ordem). A saída da adolescência representou a entrada no desabamento das minhas expectativas: as universidades não ensinam, os namorados não duram para sempre e os trabalhos, quando os há, não pagam a vida que queremos nem nos deixam viver em paz a que temos. As casas, alugadas ou compradas, dão todas as mesmas chatices e passam sempre factura ao fim do mês. E o príncipe William não se casou comigo.
Mas hoje é diferente.  Hoje é dia internacional da mulher. E até a Primavera deu o ar,e o calor, de sua graça.
Nos tempos em que ia mudar o mundo, o dia da mulher significava um jantar com as amigas na mesa redonda de um restaurante chinês da baixa. Seguia-se algum forrobodó, rigorosamente  delimitado pelo toque de queda que a entidade paternal estipulava, à meia-noite.
Hoje em dia, significa uma razão para acreditar que, afinal, o mundo ainda pode mudar. Que  as expectativas se moldam aos tempos e às vontades. Pensemos nas centenas de anos que nos trouxeram até onde estamos agora: ninguém esperava que um dia as mulheres pudessem estudar, trabalhar, votar, e nem mesmo, escolher com quem casar.  (Que o eleito escolha casar-se com outra, como no caso do príncipe William, aí já não se pode fazer nada).
Inspirada pelas sufragistas em particular e pelos movimentos feministas em geral, decidi, num pequeno gesto simbólico de audácia e superação de expectativas, provar umas batatas fritas caseiras. Já tinha ouvido falar, já tinha passado muitas vezes pela porta mas nunca me tinha atrevido a comprar. Hoje foi o dia. Havia fila, havia molhos e toppings para escolher e, sendo  batatas fritas caseiras, tinham que ser boas.  Deliciosas! De lamber os dedos e chorar por mais. De comer às escondidas para não ter que oferecer aos amigos!
Um “cocorucho” pequeno  com maionese por favor.



E pronto, lá se foram as minhas expectativas ao ar, outra vez...

Comentários

Anónimo disse…
olá olá ´
Já tiveste o teu dia - 08 Março...
Agora os outros 364 são dos ...HOMENS!
bjs
ruitio

Mensagens populares deste blogue

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Um fim de ano especial, com festa no Palácio Real!

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens