Eu quero... lá saber!


Eu gosto de música pimba....
...nos arraiais de Santo António, entre manjericos e sardinhas. Gosto de toda a gente a cantar em uníssono “Vamos acordaaaar e ficar a ouviiiir a rádio no aaaar a chuva a caiiiiir...”
Gosto dos pontapés de dança,  com um “Baile de Verão” (Aperta, aperta com ela!) e a famosérrima “Zumba na Caneca”, entre outros grandes temas.

Eu gosto de música pimba...
...nos concertos da semana Académica. Gosto do Quim Barreiros com o acordeão em punho, enquanto o público brada, em pujantes saltos “Ponho o carro, tiro o carro, à hora que eu quiser, que garagem apertadinha que doçura de mulher”...

Eu gosto de música pimba...
... num karaoke onde ninguém sabe cantar mas toda a gente já bebeu o suficiente para se sentir confiante numa abordagem ao palco e num sibilar musical de frutas exóticas “...Abacate, abrunho e a pêra francesa, romã, framboesa, kiwiiii! Peguei trinquei meti-te na cesta, ris e dás-me a volta à cabeça...”

Eu gosto de música pimba...
... numa festa caseira de reveillón, num desfile do Carnaval de Loulé, nas festas dos 80 no teatro da Comuna, essas noites em que já fomos a todo o lado  “Já fui ao Brasil, Praia e Bissáu, Angola, Moçambique, Goa e Macau, ai fui até Timor, já fui um conquistadooooor...” e quando os ósculos de sol voltam a ser a última moda, ainda que os ponhamos “para chorar, uuu-huuuu, sem ningué ver, para não dar, uuu-huuu, a perceber, para ocultar, uuu-huuu, o meu sofrer, pois eu sei que te hei de encontrar, talvez deitado  à beira-mar, com outra ao lado e vou passar, a tarde a choraaaar...”.

Amante confessa que sou da música pimba em celebrações alcólicas, eu, pessoalmente, não marcaria o Festival da Eurovisão com música pimba. Bem ou mal (tirando a péssimo), não deixa de ser uma representação nacional, pelo que talvez fosse conveniente dar a imagem de que as letras das nossas canções respeitam a gramática da nossa língua.
Por outro lado, o Festival da Eurovisão  também é um evento que me repampinfla* bastante,  portanto é-me completamente indiferente se vai a Suzy, a Fanny ou a Jéssica Joana.



Eu estou de consciência tranquila.
Posso sempre dizer que sou Brasileira!  

*delicioso vocábulo espanhol para dizer: quero quero lá saber!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O síndrome de Bridget Jones

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens