Ale's NY GUIDE - chapter 2 - Rooftops

Das duas últimas vezes, a chegada a NY foi prontamente, e por coincidência, seguida de visitas a rooftops. Os rooftops estão para NY como as ruínas romanas estão para Roma: em todo o lado.
Trata-se de pedacinhos de céu no meio do céu, com bar e às vezes comida, outros funcionam também como parte de clubs.
Desta vez fui conhecer o rooftop do Hudson Hotel, em 356 W 58th St, pertinho do Columbus Circle e do Central Park. Mesmo em terra, os espaços do Hudson são surpreendentes. Um lobby com um jardim no tecto e um lustre que faria a Maria Antonieta babar beaucoup,  e uma amplia varanda chamada “Tequila”, decorada com primor mexicano, onde uma barraquinha vende tacos de todos os sabores, fazem as delícias de hóspedes e visitantes ocasionais, que enchem a Tequila numa Sexta à noite.









Mas ninguém se deve deixar ficar pelo chão, a verdadeira maravilha está no 15º andar.
Como um jardim suspenso repleto de árvores e flores entre camas, bancos e mesas, o roof top do Hudson é acompanhado por um bar e dotado de uma vista do  pôr do sol sobre o rio Hudson, que nos deixa estonteados de tanto encanto.





Agora, o rooftop do meu coração, por estar de frente para o emblemático Empire State Building e, principalmente, por envolver comida, é o 230 na 5th avenue. Chama se mesmo assim, 230, que é o número que o acolhe na magnífica quinta avenida, a meio caminho entre o Flat Iron e o Empire State.  Coisa tão pomposa soa a caro mas, ao contrário de todas as espectativas, o 230 oferece aos Sábados e Domingos um buffet de brunch enorme e delicioso por apenas 30$ com bebida incluída. As opções vão desde frutas e panquecas, a ovos, hamburgers, waffles, french toasts, pastas, saladas, hot dogs, biscoitos, chicken wings, batatas assadas e uma estação de ovos mexidos onde fazem os ovos ao instante com os ingredientes que queiramos. Para beber pode-se pedir café, chá, sumo ou uma mimosa. E podemos repetir quantas vezes quisermos.
Serve de pequeno-almoço de almoço e de lanche e, dependendo do número de repetições, de jantar também. O brunch é servido das 10 da manhã até às 4 da tarde e as casas de banho estão extremamente bem pensadas para um festival de manjar como este. Cúbiculos completamente fechados e com música, para insonorizar ruídos menos apetitosos. Há também um senhor agarrado a um spray de bom cheiro, o qual delata em cada toilette, cada vez que sai alguém lá de dentro. Perfeito!
E se tiverem a sorte, como eu tive, de apanhar sol, então arregacem as mangas e deixem-se bronzear.
Para quem não quiser ou não conseguir ir ao brunch, o 230 também é bonito à noite para tomar um copo e embriagar as íris com as vistas.






Outros rooftops recomendáveis que são também clubs: o Standard Hotel em Meat Packing District, ao lado do High Line Park, e o Phd rooftop no Dream Hotel, em Chelsea. Estão a poucos minutos de distância um do outro a pé.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O síndrome de Bridget Jones

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens