The B word

E de repente... apareceram os rabos.
São os shorts de cintura alta que deixam espreitar as bochechas do rabo, são os maiôs em forma de fio dental, são os jeans e os leggings push-up. É a Kim Kardashian por todos os lados.
E, se calhar fui só eu que reparei, mas a Jennifer Lopez e a Nicki Minaj lançaram dois vídeo clips iguais.  A única diferença é que um é protagonizado pelo grande rabo da pequena Nicky e, o outro, pelo interminável rabo da eterna JLo.
Sim, também é verdade que o “Anaconda” é praticamente um filme porno, enquanto o “Booty” é só extremamente sensual e provocador.
Porém, a mensagem é a mesma: upa, upa, viva os rabos grandes, vamos todas abanar o pandeiro como se não houvesse amanhã!
A bem da verdade,  não é assim grande novidade, já que o tema foi recentemente abordado pelo Jason De Rulo e o Snoop dog com o profundo “Wiggle wiggle - you know what to do with that big fat butt”.


Também temos a fofinha da Meghan Trainor, com o animado “All about that bass”, que diz a mesma coisa que os outros, mas de uma maneira tão melódica e um video-clip tão cor-de-rosa e cutxi cutxi, que nem parece que está a falar de rabos e de “skinny bitches”.


São todos hits, mas nenhum deles é realmente inovador ou original. A tendência das odes musicais aos rabos grandes surgiu nos anos 90, causando discórdia e polémica. A ousadia foi de SirMixaLot com “Baby got back”, mais conhecida pelo seu primeiro verso “I like big butts and I cannot lie”. Foi a segunda canção mais vendida nos EUA em 1992, depois do “I Will always love you”, da Withney Houston.


Passados mais de 20 anos, os rabos continuam a dar que falar, misturados com uma crítica social aos padrões de beleza raquíticos, instaurados pela indústria da moda.  Os vídeo-clips de hoje em dia têm uma qualidade irrevogavelmente melhor que os dos anos 90, mas as músicas continuam a dizer a mesma coisa. O que seria um dado interessante para Freud e as suas teorias do desenvolvimento, dos desejos reprimidos e dos complexos.  Agora que penso nisso, Sigmund tinha tudo para ter escrito um mega hit musical sobre rabos grandes! Uma canção que, com certeza, teria deixado o público hipnotizado.
Fica a dica para a Warner Bros, o “Happy feet” já deu  que tinha a dar, agora “Happy Butts” é o que está a bombar.
Eu, que não sou pessoa esquelética nem dona de um traseiro avantajado, e hoje até comi Nutella à colherada, fico à margem de polémicas. Ponham-me qualquer uma destas músicas que dançarei feliz e contente, a cantarolar a letra desafinadamente.
Porque para mim, a questão realmente trepidante e intrigante é:

Quem tem o melhor rabo, a Jenny ou a Nicki?


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Um fim de ano especial, com festa no Palácio Real!

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens