Destinos 2015

Não sou de fazer listas com resoluções de ano novo, mas há uma lista que não dispenso: a das viagens para o ano todo! Começa sempre hipotética e sonhadora mas, pouco a pouco, ano a ano, lá se vão realizando.
O ano passado não foi nada de desdenhar, com o México (Riviera Maya) à cabeça, seguido por um extravagante casamento na Turquia (Bodrum), Nova York para rematar o Verão em beleza e a minha amada Lisboa para passar o Natal. Mais algumas pequenas viagens pelas proximidades.
Quer isto dizer que, para este ano, a fasquia está alta. 
Gostava de fazer uma viagem grande,  duas semanas no mínimo, à California e à Florida. Na California para visitar Hollywood, Beverly Hills, Santa Monica e Malibu, e para ir aos Universal Studios, ao parque temático 6 flags e a um jogo dos Lakers!
A Florida seria, basicamente, para tirar as dúvidas sobre todo esse sururú ao redor de Miami e South Beach e para me reencontrar com o meu pequeno eu no Disney World e no Sea World, em Orlando. Não sei se alguma vez contei isto a alguém, é provável (e compreensível) que não, mas sempre ansiei que o Zoomarine incorporasse um show com orcas. O dos golfinhos era fofinho, o dos leões marinhos era o meu preferido, o das araras era divertido e, em tempos idos, havia um pequeno tanque com tubarões onde mergulhava uma mulher e depois não acontecia nada.
Todos os anos eu cruzava os dedos para que tivessem contratado baleias. Em vez disso, aboliram os tubarões. 
Infelizmente, as baleias assassínas nunca chegaram ao Algarve. O que justifica que uma das minhas maiores curiosidades seja ver o famoso espetáculo de orcas do Sea World.
East coast and West coast são, então, a minha grande viagem platónica para este 2015.
Num plano mais acessível e com potencial para impingir aos pais e à irmã, tenho Cape Town na mira. Depois de ver as fantásticas fotos que a Sara Sampaio pôs no Instagram, também fiquei cheia de vontade de mergulhar com tubarões, ir a uma praia com pinguins, escalar montanhas, viver de areia e mar e esbanjar-me num idílico pôr-do-sol.  Estaria até disponível a negociar uma excursão de safari, com as girafinhas e os leões, em troca de companhia para mergulhar com os tubarões. (Irmãnzinha queriiidaaaa)!
Outra opção que palpita no meu coração são as Maldivas. Já sei que é mais romanticão mas, família, se tiverem a fim, contem com o meu voto! É  isso, ou, juntá-las à lista de razões para me casar: o vestido de princesa, o bolo todo envolto em frosting de açúcar e a viagem de lua de mel – às Maldivas! Seria, sem dúvida,  a cabeça de séria do meu quadro de prioridades de boda.
Depois das Maldivas, mas aqui mais a jeito e ideal para um fim de semana prolongado ou uns diazinhos livres, pensei em Capri. É pequenino, é perto, é bonito, tem praia, tem grutas e tem comida italaliana. Mais que perfeito!
E também gostava de ir ao Algarve, casa da minha adolescência onde não ponho os pés há 3 anos. Por este andar, quando lá voltar vou ter as amigas todas grávidas e ninguém vai querer sair à noite nem apanhar o barco para ir passar o dia à ilha do Farol.   
Tenho, obviamente, planos B, como o Egipto, o Dubai, um revival de Siena, ou, um muito esperado regresso ao Brasil.
Para primeira planificação do ano não está nada má, pois não?!


Comentários

Mensagens populares deste blogue

O síndrome de Bridget Jones

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens