O email do dia!

Hoje estalei de preplexidade. A minha mãe enviou-me um email em que cada parágrafo acabava com um smiley animado. Isso mesmo que acabaram de ler, não só um smiley, vulgo carinha amarela expressiva. Nananinanão! Carinhas amarelas em movimento, que saltam, que piscam os olhos, que mexem as mãos, e uma azul, que chora.  
Não sei por onde começar a explicar todas as razões pelas quais isto não é normal. A primeria de todas será, certamente, o facto de que a minha mãe não sabe pôr smileys nos sms. Alheia aos chats e apps dos telemóveis, que usa quase exclusivamente para chamadas e olhe lá, nunca na vida pôs uma figura de qualquer estripe ao lado de uma palavra. Gostava de saber de onde é que desencantou aquelas caras para o email, repito, uma por parágrafo e animadas.
A segunda razão é empírica. A minha mãe é uma pessoa empírica. É filha das ciências exactas, é numérica,  lógica e é a rainha do sudoku. Por princípio, seria a primeira pessoa a questionar a utilidade de um smiley animado pegado a cada ponto final.
Por último, mas não menos significativo, a minha mãe é uma pessoa discreta e ocupada, e por isso certeria ao ponto nos seus emails. Nunca escreve com rodeios. O que é, é, o que não é que fosse, temos pena. Adeus, beijinhos, mãe, pai e Dani (a minha irmã).  Nenhum rasgo da sua retórica é adornado. 
Se o email tivesse sido escrito pelo meu pai, que é de letras, emoções e marketing e gosta de brincar com o telemóvel, não morreria de espanto.
Mas tu, mãe?
Não sei se foi a minha irmã (designer) que lhe sugeriu a experiência, se é algum vírus que tem no computador, o que é pouco provável já que, normalmente, dispõe de 10 anti-virús instalados e todos actualizados com a última versão.

 Mas sei que neste dia de frio e chuva, o email da minha mãe foi, literalmente, uma animação! 
Thumbs up

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O síndrome de Bridget Jones

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens