A outra Grécia

Todos os dias ouvimos falar da Grécia. Da crise da Grécia. Dos empréstimos da Grécia. Do desemprego da Grécia. Das manifestações da Grécia. Da saída da Grécia da União Europeia. Desliguem essas televisões, fechem esses jornais, porque ninguém nos está a contar as coisas realmente interessantes do país de Sócrates, de Aristóteles, das Olimpíadas e do queijo feta, huuum tão bom!!!
Já tinha estado na Grécia há uns anos, mas apenas nas ilhas de Creta e Santorini. Achei Creta um pouco seca, com muitas rochas e pouco verde e sem grandes motivações. Já Santorini é um sonho de ilha, parece um floco de neve com cobertura de pepitas azuis, com o mar à espreita de todos os recanto. Gostaria de voltar algum dia, mas ainda não foi hoje.
Hoje fui a Tolo, uma praia na zona de Nafpliou, relativamente perto de Atenas. Uma tranquilidade de praia, com pouca gente, um mar tão calmo que mais parecia uma piscina, a água morna e transparente com tons esmeralda, salpicada por ilhas aqui e ali e montanhas no horizonte. Um calor de 34 graus, um calor daqueles que em Lisboa e em Barcelona já não se sente em Setembro.
E depois chegou a minha parte preferida, a da comida! Dizer que a esplanada estava à beira-mar é eufemismo, porque as cadeiras estavam quase em cima dos peixes. Era esticar o pé e refrescar a pedicura.  
E a comida, bem, a comida estava espetacular, como já vem sendo hábito. Estou aqui há dois dias e a hospitalidade e qualidade do sector da restauração não deixam de me surpreender. Os menus estão sempre em inglês e não me refiro apenas a zonas turísticas. Os empregados são de uma amabilidade e simpatia tremendas, fazendo-nos sentir que estamos num hotel 5 estrelas em alguma capital europeia.
E, meus amigos, a Merkel bem pode dizer missa,  se há uma coisa que não está em crise é a cozinha grega! Não sei como é que se apanham para controlar o stock e a rentabilidade, mas todos os restaurantes têm uma oferta tão ampla, que o difícil é escolher. De pizza e hambúrguer, a cordeiro no forno e típicos pastéis gregos, passando por spring rolls, pastas, peixes e muitas, muitas saladas! Tudo sempre servido com imensa generosidade. As doses de comida são, literalmente, hercúleas. E os produtos são frescos, o queijo feta é inacreditável e tudo sabe bem. Oferecem sempre, sempre, sempre, uma garrafa ou um jarro de água, seja num bar ou num restaurante. O pão também é grátis. Ontem à noite fomos tomar um copo e serviram-nos as duas bebidas que pedimos mais um pratinho de batatas fritas, outro de pepino e cenoura e outra de salgados, como cortesia. Quando chega a conta o preço é surreal, por 20€-30€ duas pessoas comem um manjar dos deuses.  Em Barcelona, pelo mesmo preço, come-se um manjar no McDonalds e muito obrigado.

Estou contente aqui na Grécia, muito provavelmente estou também a ficar mais gorda, mas serei uma gordinha feliz e satisfeita! 




Comentários

Mensagens populares deste blogue

O síndrome de Bridget Jones

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens