Eletro estimulação - o desporto do futuro.

Já tinha ouvido falar de treinos com eletro estimulação. Via fotos de modelos e desportistas de elite a fazer exercício com o que pareciam ser coletes salva-vidas, não fossem afogar-se em suor...
Se por um lado me despertou a curiosidade, por outro também sou bastante tradicional no que toca ao desporto, correr é correr, uma perna de cada vez, não me venham cá com invenções.
Mas ontem tive a oportunidade de experimentar o Ekinox fit, o único ginásio de Barcelona que treina com eletro estimulação, e posso atestar que a coisa vai muito mais além do que colocar um colete salva-vidas.
Há uma experiência e uma necessidade por de trás do conceito. A experiência é um ginásio que mais parece um hotel de 5 estrelas, onde cada pessoa tem um personal trainner, um trato 100% personalizado e o seu próprio “camarim” individual para guardar as coisas e trocar de roupa com chuveiro, toalhas, chinelos e tudo mais. A necessidade nasce da falta de tempo, que não é o meu caso, mas é o caso de muita gente que se deixa engolir pela rotina trabalho, casa, crianças e uma pitada de preguiça no sofá.
A possibilidade de ir ao ginásio durante 25 minutos e obter resultados equivalentes a 4 horas de treino é uma benção dos céus! Além disso, o ginásio proporciona a roupa e o material de treino, pelo que também não é preciso andar a carregar com sacos e mochila para trás e para frente. A ideia é simples, atingir bons resultados físicos e estéticos dispensando apenas meia hora do nosso tempo.
Uma ideia que acaba por ser atrativa não só para os não desportistas como também para as pessoas que fazem desporto regularmente e que usam a eletroestimulação como um treino complementário, em que se consegue muito mais em muito menos tempo.
Ora então como é que isto funciona? Dão-nos uma tshirt e uns calções e vestem-nos um super colete, muito semelhante ao que se usa para saltar de paraquedas. A diferença é que este colete tem um cabo conectado a uma máquina que emite impulsos elétricos, que irão aumentando de intensidade gradualmente, controlados pelo personal trainner. Os impulsos elétricos são dirigidos às coxas, glúteos, abdominais, lombares, braços, dorsais e trapézio. É uma sensação estranha, sente-se um formigueiro, às vezes até mesmo cócegas. Não dói, mas pesa, cansa e faz suar como se estivéssemos a fazer sprints no Saara. Basicamente, o que acontece é que enquanto nos exercitamos os nossos músculos estão a trabalhar duas vezes. Estão a trabalhar por eles próprios, ao mesmo tempo que estão ser trabalhados pelos impulsos elétricos. Parece fácil mas, acreditem,  são os 25 minutos mais longos das vossas vidas! Quando acabamos a sensação é de termos treinado horas a fio e as pernas bamboleiam. E nos dois dias seguintes as dores musculares atacam, como depois de qualquer atividade física intensa.
A parte do relax é maravilhosa, quando o suor já escorre por todos os lados dizem-nos que já está, que nos podemos deitar no colchão e relaxar enquanto o colete trabalha sozinho. Uma espécie de massagem profunda que realmente nos está a exercitar os abdominais e a solidificar os glúteos sem que nos tenhamos que mexer.

E eu até gosto de me mexer! 
Mas estou completamente rendida aos estímulos elétricos.  

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens

Um fim de ano especial, com festa no Palácio Real!