O hipopótamo que queria conhecer o mundo

Vi no telejornal que um hipopótamo atravessou uma passadeira numa pequena cidade do Sul de Espanha.
Mostraram um vídeo caseiro do animal a passear pela rua, tão tranquilo e relaxado de sua vida, faltava-lhe apenas a máquina fotográfica pendurada ao pescoço.
Entrevistaram os vizinhos que se depararam com o hipopótamo enquanto tomavam o café ou saíam a jogar o lixo. É sempre uma surpresa agradável, cruzar-se com um animal selvagem com 1.500kg à porta de casa.
Ainda assim, as reações eram bem mais de espanto e curiosidade que de medo ou drama. Todo o tom da notícia era meio jocoso, como um fait-divers divertido. Não houve mortos nem feridos, nenhum acidente de tráfico, nenhuma lesão para o animal. Tudo dentro do normal. Tirando haver um hipopótamo na calçada.
No fim da peça respondiam à pergunta que toda a gente se estaria a questionar. Como é que o hipopótamo foi ali parar?
Ora bem, a razão não podia ser mais simples. Não voou, não passou por baixo da cerca, não abriu a jaula com as suas patinhas, não largou a correr a toda a velocidade. Há um circo na cidade, alguém deixou a porta aberta e ele lá foi à sua vida, cheio de sonhos e vontade de conhecer o mundo!
O treinador aprontou-se a ir resgatá-lo e tudo acabou bem. 

O que me inquieta é o seguinte: como seria esta notícia se tivessem deixado aberta a porta dos tigres?


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens

Um fim de ano especial, com festa no Palácio Real!