Empatados

Estou aqui a ver a estreia de Portugal no Europeu, sozinha na cozinha, que também é a sala de estar. Estamos a ganhar 1-0 à Islândia, o que evita muita humilhação e deixa uma pessoa de bom humor.
Sinto-me bem por reconhecer algumas caras, Cristiano e Pepe à parte porque esses já vejo o ano todo, enche-me de alegria ver que o Ricardo Carvalho ainda é vivo e que o Moutinho e o Nani ainda jogam à bola.
Agora acabaram de empatar, os comentadores dizem que é culpa do Vieirinha, um moçoilo que não sei quem é,  mas já não simpatizo com ele. 
Portugal empatado com Islândia, a ver se isso cabe na cabeça de alguém!
Para os Islandeses é como se tivessem a ganhar o Euro agora mesmo, para os portugueses é um senhor melão, vamos lá ver se o descascam rápido.
Estava eu aqui tão descansada de minha vida, a disfrutar de nomes tão tradicionais como João Mário ou Rafael Guerreiro que, chamando-se assim, também podia perfeitamente ser cantor pimba, e agora já sou toda ânsias. Eu e eles, que desde que sofreram o golo estão numa constante taquicardia, apetece ir ali atirar um balde de água fria para que se acalmem um bocadinho. 
Diz o comentador que o Cristiano se enganou, que tinha um companheiro ao lado para passar a bola e não passou.  Não sei de onde é que tiraram este comentador porque não é preciso ser um suprassumo do futebol para saber que Ronaldo não se “engana”, nem é conhecido pelas suas assistências.
A Islândia acaba de fazer um remate perigoso, que o fofo do Rui Patrício agarrou com essas mãozinhas que Deus lhe deu, mas Portugal não anda nem desanda. Sempre ali na cepa torta. A história da nação há aproximadamente 500 anos... 
Acabo de ouvir que há um tal Danilo Pereira a jogar, o que destrona completamente o Rafael Guerreiro no top da minha hitlist de música pimba.
O Nani rematou ao lado, uma dessas punhaladas no coração que parecia dentro, mas afinal estava fora. Entretanto entrou um jovem de 18 anos com uma melena cheia de tranças, digna de anúncio Pantene. Dizem os comentadores que vai para crack, mas por enquanto a única coisa que fez foi pôr a perninha na axila de um Islandês.
Um quase golo da Islândia. É o pânico nas trincheiras portuguesas.
Os comentadores fazem questão de realçar que a Islândia tem a mesma população que Alicante, 300.000 pessoas e apenas 100 jogadores de futebol profissionais. Quer isto dizer que os que não são convocados para a seleção é porque são mesmo bananas!
A Islândia está então a viver um momento histórico, o melhor dia da vida deles com potencial para se transformar em feriado nacional. Para Portugal é mais um vexame ao estilo Portugal – Grécia 2004. Sobram 15 minutinhos para restaurar a dignidade das Quinas. O Quaresma foi chamado à ação. Rezemos...
O Cristiano em fora de jogo e um adepto nacional vestido de tartaruga ninja. Se isto continua assim essa imagem vai acabar por ser o melhor momento do jogo.  
O Cristiano quase marcou e a Islândia também, valha-nos Deus e todos os santinhos por Rui Patrício!
Emoção dizem os comentadores...Emoção uma ova! Emoção é ter de pintar as unhas da mão direita quando já estamos atrasadas e há alguém impaciente à nossa espera que não para de telefonar. Isto já é só puro sofrimento.
Acabou o tempo oficial, mas foi falta e agora foi mão da barreira e temos outra falta com cartão amarelo e outro remate do Cristiano. Vai lá bebé, mostra quem é o melhor jogador do mundo....... e é o Messi.  
Soa o apito final. Empatados com a Islândia. Não é uma tragédia para a classificação, mas convenhamos que é difícil ganhar um Europeu se não conseguimos ganhar à Islândia. 

Estou sozinha na cozinha, mas junta nesse ridículo miudinho com mais  11 milhões de portugueses. 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O síndrome de Bridget Jones

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens