Donald a fazer amigos


Este fim de semana foi extremamente prolífero para a conta do Twitter de Donald Trump, grande impulsionador da política 2.0 #possoescreveroquebemmepaetecer #estoumealixarparavoces  #quempodepodequemnaopodesesacode
Como já é altamente popular entre a elite científica, literária e artística, achou por bem fazer mais “amigos” no mundo desportivo.
Não lhe bastava com o discurso da Meryl Streep, as entrevistas de Robert De iro, a antipatia de Stephen Hawkins, a oposição de John Legend e Cher, ou o facto de J.K Rowling ter dito que Trump era pior que Voldemort.
São tantas as celebridades que impugnam o senhor do cabelo cor de laranja que poderíamos fazer uma coletânea intitulada “Famosos contra Trump” e, com certeza, seria um best seller.
Mas o fofo não podia dormir descansado enquanto não recebesse um tweet do “rei”, LeBron James, que saltou em defesa de Stephen Curry quando o Sr. Presidente  “desconvidu” os Golden State Warriors, da visita à Casa Branca como campeões da NBA.Assim, Trump fez um 2x1 e de uma só assentada conseguiu revoltar, nada mais nada menos, que os dois melhores jogadores da NBA e, por arrasto, tantos outros como o já retirado Kobe Bryant. Porque Trump faz tudo em grande!

A solidariedade desportiva não tardou em fazer-se sentir com vários jogadores de futebol americano a ajoelharem-se, ironicamente, no princípio dos jogos e a recusarem-se a cantar o hino nacional.
Mas isto foi só um pequeno aperitivo de o que ainda estava por vir. Fascina-me a cabeça deste homem, de verdade que sim, porque por mais que pense não consigo entender como é que alguém pode acordar um dia e pensar “Hoje está um dia óptimo para, subtilmente, escrever um tweet a declarar guerra à Coreia do Norte, ora aí vai, e agora a questão do dia, ovos estrelados ou mexidos para o pequeno-almoço?”
A Coreia do Norte sentiu-se ofendida, com alguma razão, já que o Tweet dizia que o país vai deixar de existir não tarda muito. A frase foi interpretada como declaração de guerra pelo Ministro da Defesa coreano, que respondeu ameaçando abater todos os aviões norte-americanos que decidissem sobrevoar por ali.
As redes sociais são a maior causa de divórcio, desentendimentos e infidelidades do século XXI, mas deixar o namorado porque ele anda a dar “likes” a tudo o que coloca a bunda para jogo no Instagram, é algo plausível.
Agora escrever na história da humanidade que a III Guerra Mundial se desencadeou na sequência de um “tweet” de Donal Trump, é só mesmo ridículo.  







Comentários

Mensagens populares deste blogue

O síndrome de Bridget Jones

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens