Um poema de adultos


Tenho saudades de quando éramos
felizes sem saber
Porque éramos apenas,
Éramos sem ser.
Éramos sem pensar.
Sentíamos,
E deixávamo-nos levar.
Assim fizemos de todos os dias
Um dia para lembrar.
Os anos passaram,
Porque o inevitável não se pode mudar,
Mas as lembranças,
Essas ficaram,
E hoje fazem-nos perguntar:
Onde é que os nossos sonhos pararam?
Quando foi que deixámos de acreditar,
De sonhar,
de imaginar,
de desejar…
Algures pelo caminho da vida
Perdemos o melhor
que tínhamos para dar.
Agora já está na hora
De parar
De ir lá buscar
Esse je ne sais quoi
Que nos fazia voar.  

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Um fim de ano especial, com festa no Palácio Real!

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens