O primeiro post de 2019


Comprometi-me a escrever no blog uma vez por semana.
O último post data de 6 de Dezembro. Sou pois uma pessa sem palavra, mas com muito para dizer.
Por isso, pela centésima vez, voltei a escrever.
Vá, também não é bem verdade que tenha deixado de escrever, escrevo todos os dias no computador das 09.00 às 18.00h, entre outras coisas e duas viagens de comboio + dois autocarros, que ocupam 3 horas do meu dia-a-dia.
Não é que me queira desculpar, mas quando uma pessoa sai de casa e ainda é de noite, e volta a casa e já é de noite outra vez, quer dizer que não lhe sobra muito tempo livre.
Claro que houve as férias do Natal, mas aí estava tremendamente ocupada a não fazer nada.
Também não há assim tantas novidades, nasceram mais dois bebés da interminável lista das minhas amizades que decidiram produzir o milagre da vida à beira de uma nova recessão económica.  Sim, essa é a outra novidade, dizem que a crise voltará em 2019, por isso o melhor é mesmo aproveitar os saldos de Inverno.
Essa é, aliás, a razão principal do meu regresso literário. E pensarão, coitada da rapariga que não tem mais nada para contar a não ser dizer que foi às compras. Pois fiquem sabendo que ocorrem coisas interessantíssimas na minha vida, eu diria mesmo interessantérrimas, mas depois de 10 anos emigrada jã não sei se essa palavra se diz ou não. O problema é que se eu vos contasse  tais coisas, teria de vos remover do planeta, e matar alguém é coisa que tem pinta de dar um trabalho dos diabos. Não o matar em si, mas a parte que se segue de eliminar as provas e fazer desaparecer o corpo,  deve ser uma dôr de cabeça do caraças. Que eu pesoalmente não entendo, com tanto serial killer que anda por aí solto, como é que ainda não inventaram um contentor de reciclagem para restos humanos, em tons de negro luto.
Tendo isto em consideração, nada me enche mais o coração do que fazer boas compras nos saldos de Inverno. Porque os de Verão não são grande coisa, aqui falo por experiência própria, eu que faço anos em Julho e 99% dos meus presentes provêm dos saldos.
Este ano já comprei várias coisas em promoção, a maioria delas eram mesmo necessidades histéricas, como por exemplo uns sapatos de salto alto.
E enquanto as minhas amigas (e amigos) se andam a vangloriar com os seus recém-nascidos, eu grito ao mundo a minha alegria por ter adquirido um par de sapatos da Guess por 39€, em vez do preço inicial de 165€.
Sei que a minha mãe estará orgulhosa de mim quando ler isto!
Até porque ao parecer são sapatos da nova coleção e desconfio que estavam com este desconto por engano, mas isso é lá um problema dos recursos humanos da Guess.
Eu estou satisfeitíssima (ou satisfeitérrima?) com a minha compra! 
E pronto, feliz natal, bom ano novo e aproveitem os saldos de Inverno, que se não depois é só pr'ó ano!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Já cá estou outra vez, desculpem a demora...

Aproveito o 8 de Março para dizer que as mulheres deviam ganhar mais do que os homens

Um fim de ano especial, com festa no Palácio Real!